rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

PAIGC PRS Crise política Aristides Gomes

Publicado a • Modificado a

Guiné-Bissau: PRS opta por apaziguamento

media
PRS recua nas suas ameaças de boicoite às legislativas de Novembro. DR

O clima é de desanuviamento do ambiente político na Guiné-Bissau. Parece ter chegado ao fim a guerra entre os dois principais partidos, PAIGC e PRS, ambos agora no Governo, quanto à nomeação dos governadores regionais.

Pelo menos quanto aos governadores regionais e administradores sectorais já há fumo branco. O Partido da Renovação Social diz que, no intuito de criar um bom clima no país e para que as eleições legislativas possam ter lugar a 18 de Novembro, abdica da sua reivindicação de também nomear aqueles responsáveis juntamente com o PAIGC.

 


Em conferência de imprensa, Certório Biote, vice-presidente do PRS, afirmou o seu partido deixou cair aquelas pretensões e que o importante agora é avançar para as eleições legislativas para as quais diz que está pronto.

O secretário-geral do PRS, Florentino Pereira aproveitou a ocasião para esclarecer que o seu partido também já comunicou ao primeiro-ministro, Aristides Gomes, que vai viabilizar o programa do Governo e a proposta do Orçamento Geral do Estado para os seis meses que faltam até ao final do ano.

Alias, Florentino Pereira, lembrou que ficou combinado, no âmbito do Acordo de Conacri, que tanto o programa do Governo como o Orçamento Geral de Estado seriam elaborados de forma consensual entre os partidos com assento parlamentar e a sociedade civil.

Portanto, o PRS está apenas a cumprir parte do seu compromisso assumido.

O primeiro-ministro, Aristides Gomes, pediu esta segunda-feira ao líder do parlamento, Cipriano Cassamá o agendamento dos dois instrumentos de governação para serem apreciados e aprovados ainda este mês.

Aristides Gomes quer começar a tomar as medidas de fundo na base do seu programa e do Orçamento e sobretudo por em marcha a maquina eleitoral, rumo as legislativas de 18 de novembro, que disse, serem inadiáveis.

Confira aqui a correspondência de Mussá Baldé em Bissau.

Correspondência de Bissau 04/06/2018 ouvir