rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

Governo José Mário Vaz Guiné Bissau CEDEAO Cimeira Togo

Publicado a • Modificado a

Presidente guineense JOMAV nomeia segunda-feira novo PM

media
José Mário Vaz, presidente da Guiné-Bissau, nomeia novo primeiro ministro, já esta segunda-feira SIA KAMBOU / AFP

O chefe de Estado guineense, José Mário Vaz, vai nomear, na segunda-feira, o seu novo primeiro-ministro, Aristides Gomes. A decisão consta do comunicado final da cimeira extraordinária da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental, CEDEAO, que decorreu ontem em Lomé, no Togo.


Os presidentes e primeiros ministros dos países da CEDEAO, acabam de reunir-se em Lomé, no Togo, numa cimeira extraordinária, donde saiu uma nova estratégia para o futuro da Guiné Bissau, num impasse político há dois anos.

Os dirigentes da Comunidade económica dos estados da África do oeste, querem que a crise política guineense comece a ter uma solução já a partir deste mês.

Assim, os chefes de estado e de governo da CEDEAO, recomendaram ao seu homólogo da Guiné Bissau, José Mário Vaz, uma série de medidas, nomeadamente, a nomeação de um novo primeiro ministro, Aristides Gomes.

Entre essas medidas constam igualmente a reabertura do Parlamento ainda este mês e a convocação de eleições legislativas ainda este ano.

O Presidente guineense, José Mário Vaz, que participou no redesenho da nova estratégia, declarou à imprensa em Bissau, no seu regresso de Lomé, que vai começar a trabalhar no novo plano já amanhã, publicando novos decretos.

O decreto pondo fim às funções do actual primeiro ministro, Artur Silva, um segundo decreto, a nomear o novo primeiro ministro, Aristides Gomes, que já exerceu este cargo, no passado, num dos governos do Presidente, Nino Vieira.

Enfim, um terceiro decreto, anunciando eleições legislativas para 18 de novembro.

"Eu gostaria de pedir a todos, sem excepção, para acompanharem esta proposta que saiu da conferência dos chefes de estado e de governo da CEDEAO. Não temos outra alternativa, não temos outra solução...", declarou José Mário Vaz.

De Bissau, o nosso correspondente, Mussá Baldé.

Mussá Baldé, correspondente em Bissau 15/04/2018 ouvir