rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

PAIGC Guiné-Bissau Congresso

Publicado a • Modificado a

Guiné-Bissau: suspensa preparação de congresso de PAIGC

media
Domingos Simões Pereira, líder do PAIGC DR

O Tribunal regional da Guiné-Bissau suspendeu a realização do congresso do PAIGC,primeiro partido parlamentar guineense, devido a uma providência cautelar depositada por um grupo de militantes.A decisão tomada pelo tribunal de Bassorá,responsável pela região norte do país,bloqueia a preparação do nono congresso do Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde.

Mais pormenores com Mussá Baldé :


Uma providencia cautelar intentada por um grupo de militantes foi aceite pelo tribunal regional de Oio, com sede em Bassorá, norte da Guiné-Bissau, pedindo a suspensão dos trabalhos que iriam levar ao nono congresso do PAIGC.

O congresso está marcado para decorrer entre 30 de janeiro a 04 de fevereiro.

Os autores da providencia cautelar, sabe a RFI, alegam terem sido injustamente impedidos de participar nas conferências de base, durante as quais foram eleitos os delegados ao congresso,previsto para arrancar na próxima terça-feira, em Bissau.

A decisão do juiz do Tribunal Regional de Oio chegou à sede do PAIGC, na sexta-feira e no mesmo dia foi contestada pelos advogados do partido, através de um recurso.

Numa primeira reação, o líder do partido, Domingos Simões Pereira, garantiu que aquelas diligências não colocam em causa a realização do 9º Congresso, que alias, disse, estar já em marcha.

Os protagonistas da providência cautelar,são militantes do PAIGC oriundos das regiões de Oio e Cacheu, no norte da Guiné-Bissau. Eles alegam terem sido injustamente excluídos das listas de delegados ao congresso.

O Partido Africano para a Independência da Guiné-Bissau realizou as conferências de base entre Novembro e Dezembro de 2017,para a escolha dos 1261 delegados.

Profundas divisões internas caracterizam o PAIGC, do qual um sector de militantes se opõe à direcção do partido, desde que 15 deputados da formação foram expulsos em 2015, por alegada indisciplina partidária.

Correspondência Bissau.Mussá Baldé 27.01.2018 27/01/2018 ouvir