rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

República Democrática do Congo Exército Justiça Tribunal Penal Internacional

Publicado a • Modificado a

Ntaganda condenado as crimes de guerra e contra humanidade

media
O antigo chefe de guerra da República Democrática do Congo condenado por crimes de guerra e contra a humanidade AFP PHOTO/ POOL / MICHAEL KOOREN

O antigo chefe de guerra da Republica Democrática do Congo, Bosco Ntaganda, foi considerado culpado por 18 crimes. A pena vai ser conhecida numa próxima audiência, mas tudo indica que Bosco será condenado a prisão perpétua.


Bosco Ntaganda, antigo chefe de guerra da República Democrática do Congo, conhecido por Exterminador, foi condenado, esta segunda-feira, pelo Tribunal Penal Internacional por 13 crimes de guerra e 5 contra a Humaniddade.

Durante os 2 últimos anos do conflito étnico da região de Ituri, no nordeste do país,e que opunha agricultores (Lendu) e criadores de gado (Hema), o antigo general cometeu, segundo a declaração do tribunal, citada pela France Press, "ataques contra civis, violações, escravatura sexual, perseguições e pilhagens enquanto crimes de guerra e crimes contra a humanidade".

Apesar da pena ainda não ser conhecida, visto que só será anunciada numa próxima sessão, pela gravidade dos crimes, tudo indica que Ntaganda deverá ser condenado a prisão perpétua.

O antigo chefe de guerra congolense, que está a ser julgado desde 2015, sempre garantiu ser inocente ao considerar-se um revolucionário e não um criminoso. 

O caso de Ntaganda tornou-se um símbolo de impunidade, depois de em 2006 surgirem as primeiras acusações e, ainda assim, ter integrado o exército do seu país entre 2007 e 2012. Só se entregou mais tarde, em 2013, depois de ruir a sua base de poder.