rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo
Revista de Imprensa
rss itunes

PS francês namora centro-direita

Por João Matos

As capas dos jornais franceses continuam a dar grande destaque às reacções sobre as últimas eleições regionais, mas também sobre estratégias dos socialistas para as próximas eleições presidenciais de 2017, em França.

LE MONDE, titula os nacionalistas a liderar na Córsega. Autonomistas e independentistas já controlavam desde 17 de outubro a direcção do executivo da Assembleia, agora, com a vitória nas regionais, têm a garantia de conseguir que o nacionalista Gilles Simeoni, seja eleito Presidente do conselho executivo da Córsega, um mini governo da ilha.

Com uma maioria na Assembleia regional, os nacionalistas instalarão, igualmente, o independentista, Talamoni, na presidência da assembleia da Córsega, acrescenta LE MONDE.

LE FIGARO e AUJOURD'HUI EN FRANCE, ilustram as suas capas com uma mesma fotografia do primeiro-ministro falando aos ouvidos do Presidente, com um ar estóico, e os títulos,  Hollande e Valls, à procura duma salvação à direita, segundo LE FIGARO, e o plano que têm para dinamitar a direita, replica AUJOURD’HUI.

Hollande e Valls, estão dispostos a tirar proveito da divisão da direita republicana para enfraquecê-la, ainda mais, até às presidenciais de 2017, sublinha AUJOURD'HUI EN FRANCE.

Por seu lado LE FIGARO, sublinha que o duo executivo quer acreditar na possibilidade duma recomposição política e multiplica apelos discretos à ala centro-direita. Aliás no seu editorial, LE FIGARO intitulado, a  dança do centro, pergunta: Para quê? 

Um socialista permance socialista e quanto ao centrista tem geralmente uma audiência prudente e na maior parte das vezes um sentido de compromisso frouxo, nota o editorial do FIGARO.

O destaque internacional do LIBÉRATION, vai para os Estados unidos, titulando, Trump, o outro Le Pen. Populista e racista o aspirante candidato republicano à Casa Branca, continua a liderar todas as sondagens.

Enfim, é o mesmo LIBÉRATION, que sobre a África, destaca DAESH, na Líbia, para explicar que a guerra entre os dois poderes concorrentes de Trípoli e Tobruk, é propícia para o grupo terrorista estado islâmico, progredir e reforçar a sua presença, com outros jihadistas, na Líbia.
 

Ofensiva militar turca no norte da Síria continua a suscitar indignação

Críticas a Trump que quer retirar tropas americanas da zona curda síria