rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

Cocaína Droga Drogas França

Publicado a • Modificado a

Consumo de cocaína cresce na França mas imagem da droga é menos glamurosa

media
Getty images

Muito tempo associada à imagem de festa e de ascensão social, a cocaína é uma droga que pode causar muita dependência e problemas que podem levar à morte, segundo um relatório publicado nesta quinta-feira,29, pelo Observatório francês de drogas e toxicomania. O documento revela que os franceses estão mais atentos aos perigos da droga mas, por outro lado, a queda no preço contribuiu para popularizar e aumentar o número de usuários no país.


“A cocaína desfruta de uma imagem positiva mas há sinais de que essa percepção esteja mudando”, afima o relatório “Cocaína, dados essenciais”. De acordo com o Observatório, nove em cada dez franceses consideram a droga perigosa já no momento de experimentá-la, o que é visto como um aspecto positivo já que revela uma mudança de percepção da cocaína.

A imagem de uma droga inofensiva, festiva e que aumenta o desempenho professional foi uma das razões apontadas para o crescimento constante do consumo na França dos últimos 15 anos. A última década ficou ainda marcada pela banalização do uso da cocaína que teve seu preço reduzido em um curto espaço de tempo. Nos anos 80 a grama era vendida a 150 euros, depois passou para 80 euros no início do ano 2000 e para 60 euros, em 2010.

O modo de utilização da droga, que é aspirada, é outro fator que explica sua popularização já que oferece menos riscos para o usuário comparando com as drogas injetáveis.

O relatório indica que 400 mil pessoas consomem cocaína pelo menos uma vez ao ano e 1,5 milhão já experimentaram a droga. Os números revelam um aumento expressivo já que entre os anos de 2000 a 2010 o número de usuários triplicou e passou de 0,3% a 0,9%. A expansão é mais significativa entre jovens na faixa etária entre 18 e 34 anos. Segundo o documento, 7% deles já experimentaram a droga.

O estudo revelou ainda que o fenômeno atinge todas as categorias profissionais mas o nível de experimentação é particularmente elevado entre os desempregados, com 7,6%. O consumo regular da droga também vai além dos usuários frequentadores de festas e eventos musicais de massa. Pessoas em situação precária e toxicômanos também estão entre os consumidores mais frequentes da cocaína. O estudo também quantificou em 15 mil o número de dependentes de crack na França.

Os usuários identificados na pesquisa consideram que os médicos conhecem mal os efeitos da droga cujos riscos vão de complicações cardiovasculares, lesões cutâneas, problemas respiratórios e neurológicos.

Segundo droga mais consumida no país, depois da maconha, a cocaína também é apontada como a causa de muitas patologias mentais como depressão, distúrbios de ansiedade e tentativas de suicídio; problemas que aparecem mais em usuários da droga do que nos não-usuários. Calcula-se que pelo menos 30 pessoas morrem por ano na França vítimas de uma overdose provocada pela cocaína, seja consumida sozinha ou associada com outras substâncias psicoativas.