rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

Airbus Aviação Emirados Árabes Unidos França Imprensa Rafale

Publicado a • Modificado a

França está prestes a vender caças Rafale aos Emirados Árabes Unidos

media
Segundo o jornal, o chanceler Alain Juppé está prestes a fechar um contrato de venda de caças Rafale aos Emirados Árabes Unidos. Reuters

O jornal econômico Les Echos traz duas reportagens importantes sobre o setor da aeronáutica. Os europeus estão ajudando os chineses a vender aparelhos da Airbus montados na China. O jornal também revela que o número dois do governo francês, o chanceler Alain Juppé, está prestes a fechar um contrato de venda de caças Rafale aos Emirados Árabes Unidos.


Segundo Les Echos, o presidente Nicolas Sarkozy designou Juppé, político extremamente habilidoso e experiente na assinatura de contratos de armamentos, para convencer as autoridades dos Emirados a comprar 60 caças Rafale. Les Echos cita o revés nas negociações com o governo brasileiro, que acabou adiando por tempo indeterminado a compra dos caças franceses, depois de o ex-presidente Lula chegar muito perto da conclusão do contrato. Desta vez, o Palácio do Eliseu tem praticamente certeza de fechar o negócio com os Emirados, escreve Les Echos, apesar de nunca ter conseguido encontrar compradores no exterior. Juppé vai aos Emirados Árabes Unidos acertar detalhes da venda no mês de novembro.

Les Echos informa ainda que, de acordo com a imprensa indiana, o governo de Nova Délhi entrou na fase final do processo de licitação para a compra de 126 aviões de combate. A disputa está entre os modelos Rafale e o Eurofighter.

Airbus na China

O jornal especializado em economia destaca em manchete que os europeus estão ajudando a Airbus a vender o modelo A320 montado na China com os mesmos incentivos fiscais concedidos aos aparelhos fabricados na Europa. Os aparelhos chineses irão se beneficiar do mesmo dispositivo fiscal elaborado para estimular as exportações europeias, o que na prática significa dizer que as companhias chinesas poderão fazer empréstimos a taxas mais vantajosas para adquirir os A320 montados na China.