rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

França Polícia Direito Justiça Morte

Publicado a • Modificado a

França: Nantes prepara-se para homenagear lusodescendente

media
Manifestação em memória de Steve Maia Caniço,a 30 de Julho de 2019 em Bordéus. MEHDI FEDOUACH / AFP

A cidade de Nantes deve ser palco neste sábado de uma marcha em homenagem a Steve Maia Caniço, lusodescendente resgatado nas águas do rio Loire na segunda-feira. Testemunhas no local denunciaram não terem sido ouvidas pelo IGPN, a chamada polícia das polícias, que no seu relatório tinha ilibado as autoridades policiais de qualquer responsabilidade na morte do jovem.


Steve Maia Caniço tinha desaparecido na madrugada de 22 de Junho, à margem dos festejos da chamada "Festa da música" onde a polícia interveio para por cobro a um concerto. Alguns populares, na confusão, teriam caído ao rio Loire, sendo que o jovem de 24 anos não sabia nadar.

Alberto Carvalho é produtor de uma rádio local em Nantes ele conta participar na marcha agendada para este sábado e denuncia o facto de algumas testemunhas não terem sido ouvidas pelo IGPN, a chamada polícia das polícias.

Alberto Carvalho, produtor de rádio em Nantes 01/08/2019 ouvir

O relatório da Inspecção geral da polícia nacional, IGPN ilibava as autoridades de qualquer responsabilidade no sucedido.

O diário Le Monde, na sua edição com data de 2 de Agosto, cita, com efeito o fotógrafo Romain G de 33 anos que estava no local, mas que não foi ouvido pelos autores do relatório que tanta insatisfação e revolta tem provocado em Nantes e um pouco por toda a França.

O IGPN alega não ter conseguido falar com a testemunha em causa que se queixara no local do gás lacrimogéneo por parte das forças da ordem e que ao longo de dez minutos estaria na origem de quedas e de desmaios.

Romain G afirmou ter gritado à polícia "Não avancem, o rio está já aqui. Ouvi gritos e o barulho de corpos que caíam à água", afirmou ele.

A morte, supostamente, por afogamento do jovem animador nas águas do rio Loire continua a ser investigada em França com o primeiro-ministro Edouard Philippe a pedir nesta terça-feira que se apurem eventuais responsabilidades por parte das autoridades públicas, autarquia e governo civil, ou privadas.

Uma série de manifestações um pouco por todo o país já tiveram lugar, caso de Bordéus, a exigir responsabilidades no caso.

O ministro do interior, Christophe Castaner, muito criticado no caso, recebeu o apoio do chefe do executivo com ambos lado a lado numa deslocação pública no distrito de Essonne, perto da capital.

"Tenho plenamente confiança nele" afirmou, na altura, o primeiro-ministro francês.