rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

Ecologia França Greta Thunberg Aquecimento global

Publicado a • Modificado a

França: Adolescente sueca denuncia aquecimento do planeta

media
A activista ambiental sueca Greta Thunberg profere um discurso durante um debate com deputados franceses na Assembleia Nacional em Paris, França, a 23 de Julho de 2019. REUTERS/Philippe Wojazer

A adolescente sueca Greta Thunberg de apenas 16 anos foi recebida esta manhã por deputados da câmara baixa do parlamento francês. A líder controversa de um movimento juvenil internacional denunciando a ineficácia da luta contra o aquecimento do clima acabou por ser boicotada por alguns sectores da direita, nomeadamente.


Greta Thunberg foi convidada por Mathieu Orphelin, antigo deputado do partido presidencial, em nome de um colectivo de 162 parlamentares de esquerda e de direita intitulado "Aceleremos a transição ecológica".

Por seu lado Guillaume larrivé e Julien Aubert, ambos candidatos à presidência do partido de direita "Les Républicains" (Os Republicanos) qualificaram a adolescente de "guru du apocalipse" ou "profeta de calças curtas" e de "Prémio Nobel do medo".

Eis o resumo da conferência de imprensa de Greta Thunberg na Assembleia nacional francesa, após o seu discurso perante os deputados.

"Há muita gente a vir agradecer-me e a dizer que lhes dou esperança no futuro.

Isso leva-me a pensar que eles não terão entendido a situação desesperada que enfrentamos.

Em vez de nos elogiarem tentem é fazer alguma coisa !

Os deputados não são obrigados a vir ouvir-nos.

Não tenho opinião sobre o caso, eles são livres de fazer o que quiserem.

Que ouçam os cientistas, não são obrigados a ouvir-nos a nós, crianças, mas pelo menos que ouçam os cientistas.

Não há um único país que esteja a fazer o suficiente para que fiquemos abaixo do aquecimento do planeta a 1,5 graus.

A situação é a mesma em todo o lado.

Vim cá porque fui convidada e que tinha disponibilidade na minha agenda.

A minha mensagem é a mesma para qualquer parlamento, bem como para qualquer primeiro-ministro ou presidente."

Greta Thunberg, ambientalista sueca 23/07/2019 ouvir