rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

Paris Coletes Amarelos 14 de Julho Emmanuel Macron

Publicado a • Modificado a

Coletes Amarelos no Dia da Bastilha

media
Emmanuel Macron, Presidente francês. 14 de Julho de 2019. Paris. Eliot BLONDET / POOL / AFP

O presidente francês, Emmanuel Macron, foi apupado por coletes amarelos quando descia a avenida dos Campos Elísios no início do desfile militar do 14 de Julho. Varios manifestantes, incluindo líderes dos coletes amarelos como o lusodescendente Jérôme Rodrigues, foram detidos por terem "organizado uma manifestaçao ilegal". No final do desfile, houve também confrontos entre manifestantes e forças de ordem. 


O desfile começou no ar com a patrulha acrobática francesa a abrir o baile com fumo azul, branco e vermelho. O tradicional desfile militar do 14 de Julho pautou-se este ano portrês prismas: inovação, cooperação europeia e homenagem aos feridos de guerra. 

O Presidente francês, Emmanuel Macron, abriu o desfile e foi vaiado por manifestantes quando descia a avenida, de pé, num carro militar, ao lado do chef de Estado-maior General das Forças Armadas francesas. 

As autoridades já previam a presença de manifestantes do movimento dos coletes amarelos que se juntaram aos espectadores, nas margens da avenida parisiense. As forças de intervenção rápida interromperam os protestos e o desfile prosseguiu como previsto.

Varios manifestantes, incluindo líderes dos coletes amarelos como o lusodescendente Jérôme Rodrigues, foram detidos por terem "organizado uma manifestaçao ilegal". No final do desfile, houve também confrontos entre manifestantes e forças de ordem. 

Neste dia nacional, a França mostrou através do tradicional desfile a sua a máxima militar: com dispositivos de segurança e com 4300 militares a marchar  na Avenida dos Campos Elísios. 

Na parada participaram 30 militares portugueses, entre eles, Gonçalo Correia, da Legião Estrangeira, que desfilou pela primeira vez.

« Mais recentemente estive no Mali durante quatro meses. Estive noutros países em África, na Ásia e ainda na América do Sul a participar em missões de prevenção, de treino », contou o militar à Rfi. 

«Este é o momento em que o Estado francês demonstra que está aqui para defender os cidadãos franceses. Nós, como nação europeia, temos de estar cientes dessa missão porque é a nossa também. Como cidadãos europeus nāo podíamos deixar de estar aqui », contou, também, o Tenente-Coronel Óscar Fontoura.

Pela primeira vez viu-se um soldado a voar, entre robots, drones e carros blindados. Além das tecnologias, o desfile centrou-se na Europa, com emblemas de 10 países da Iniciativa Europeia de Intervenção a desfilar, entre eles Portugal. O chede de Estado português, Marcelo Rebelo de Sousa, assistiu ao desfile na tribuna de honra, entre o presidente francês e a chanceler alemã.

Reportagem de Lígia Anjos 14/07/2019 ouvir