rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

Europa África

Publicado a • Modificado a

Cimeira das Duas Margens: países mediterrânicos alinham estratégia comum

media
Emmanuel Macron foi o único chefe de Estado presente no Fórum internacional Ian Langsdon/Pool via REUTERS

Cimeira das Duas Margens em Marselha termina com o emprego jovem em foco. Macron promete nova reunião dentro de 6 meses para avaliar execução dos projetos, conta, em entrevista à RFI, o antigo ministro da defesa de Portugal e membro da delegação portuguesa no Fórum, Azeredo Lopes.


Chegou esta segunda-feira (24) ao fim a Cimeira das Duas Margens, em Marselha, que reunia, desde este domingo, os 5 países da margem norte e os 5 países da margem sul do Mediterrâneo com o objetivo criar uma estratégia comum entre estes países.

A iniciativa promovida pelo presidente francês, Emmanuel Macron, contou este ano com uma consulta sem precedentes da sociedade civil.

Ao todo foram 10 as personalidades reconhecidas a constituir a delegação de cada país, e que contribuíram com a apresentação de cerca de 200 projetos em áreas diversas como o ambiente, a economia ou a competitividade. 

A delegação portuguesa - constituída por personalidades reconhecidas desde Cândida Pinto, diretora-adjunta da RTP, a Jaime Melo Baptista, da área ambiental, passando pela escritora Lídia Pinto, ou até mesmo o antigo ministro da defesa, José Azeredo Lopes - apresentou os 6 projetos em áreas como a juventude, a mobilidade e o emprego. 

Uma das propostas, por exemplo, visava, como explica Azeredo Lopes, em entrevista à RFI, melhorar a mobilidade dos jovens das duas margens do Mediterrânico. Outro, acrescenta, tem como objetivo a promoção das cidades históricas e dos portos desta região planetária.

O Presidente francês, Emmanuel Macron, foi o único chefe de Estado presente no Fórum internacional deste domingo e segunda-feira, onde fez questão de manifestar o apoio a uma "forte política mediterrânica" em torno de uma "agenda positiva".

Destaque para dois projetos da União para o Mediterrâneo - entidade também presente na cimeira - que obtiveram grande destaque na Cimeira: um para tentar resolver a dificuldades dos jovens a conseguir o primeiro emprego, o outro que visa a criação de uma rede regional de centros com vista a aumentar a empregabilidade dos jovens licenciados desempregados.