rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

França Coletes Amarelos Crise Social Emmanuel Macron Manifestação Reivindicações

Publicado a • Modificado a

24° acto de manifestações dos coletes amarelos em França

media
Coletes amarelos continuam nas ruas de Paris, Estraburgo e outras cidades de França Zakaria ABDELKAFI / AFP

24° sábado de manifestações dos coletes amarelos em várias cidades de França, com foco para Estrarburgo, cidade de instituições europeias, mas também nalguns bairros de Paris, exceptuando a avenida dos Campos Elísios. Os manifestantes denunciam o "blá-blá" de Macron, que apenas anunciou migalhas às suas reivindicações sobre a crise social em França. 


48 horas depois dos anúncios feitos pelo Presidente francês, Macron, em resposta à crise social no país, os coletes amarelos, estão de novo mobilizados com manifestações em várias cidades do pais.

Estrasburgo, por ser uma cidade francesa sede de instituições europeias como o Parlamento europeu, é um dos principais focos deste 24° acto do movimento de protesto dos coletes amarelos, para denunciar o "blá-blá" do presidente Macron.

A menos de um mês das eleições europeiais os coletes amarelos querem dar um cariz internacional à sua luta querendo introduzir na campanha a crise social que atinge quase toda a Europa.

Um manifestante alemão lançou mesmo o slogan de a França é "um exemplo para a Europa e que já é tempo da Alemanha apanhar o comboio francês". 

Coletes amarelos não acreditam nas propostas de Macron

Duma maneira geral os coletes amarelos reagiram negativamente ao discurso defendido pelo Presidente na sua conferência de imprensa de há 2 dias, dizendo que ele não anunciou  "nada de concreto". 

Para o movimento de protesto, os anúncios de mais funcionários públicos, redução dos impostos, supressão da Escola Nacional de administração ou ainda reindexação à inflação das pensões de reforma de menos de 2 mil euros, são insuficientes.

Para além de Estrasburgo, onde há um forte dispostivo policial, para tentar controlar os mais radicais, registaram-se manifestações, em Paris, com milhares de coletes amarelos, mas também membros e militantes da central sindical CGT.

As forças policiais tiveram que intervir no bairro de Montparnasse no centro de Paris para isolar os mais excitados que diziam querer dar a devida resposta aos anúncios pouco consistentes do Presidente Macron.

Houve também pequenos grupos dos coletes amarelos em frente a sedes de meios de comunicação social como a TV privada TF1, dizendo que o jornalismo tradicional não reporta a verdade sobre os acontecimentos.

Mas houve também manifestações em frente a Rádios e Televisões públicas, com segurança policial, inclusivamente, nas imediações do nosso próprio grupo de mídia internacional.

Este vigésimo quarto sábado de manifestações fica marcado igualmente pela proíbição de manifestações nos centros de grandes cidades, como nos Campos Elíseos, mas também, Estrasburgo, Toulouse, Lille, Rennes ou Rouen.

A polícia conseguiu até agora manter os coletes amarelos dispersos mas controlados longe de centros nevrálgicos destas cidades.

Mas, os coletes amarelos, dizem que vão continuar com os protestos para conseguirem outras reivindicações, como a queda do imposto sobre as fortunas e um referendo de iniciativa popular para reformar as instituições em França. 

24° acto de manifestações dos coletes amarelos em França 27/04/2019 ouvir