rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

Pena de morte Guiné Equatorial Visita oficial Cabo Verde CPLP África Lusófona

Publicado a • Modificado a

Presidente da Guiné Equatorial promete em Cabo Verde abolir pena de morte

media
Teodoro Obiang Nguema, Presidente da Guiné equatorial, visita Cabo Verde Amanda Lucidon/wikimedia.org

O Presidente da Guiné Equatorial, Teodoro Obiang Nguema, começou ontem uma visita a Cabo Verde, tendo sido recebido no Palácio do Platô pelo seu homólogo caboverdiano, Jorge Carlos Fonseca. No final encontro, assinalou, que a Guiné equatorial está a trabalhar para em breve abolir a pena de morte, mas sem pressa, como exige a CPLP. Reafirmou também a importância da cooperação bilateral.


Teodoro Obiang Nguema, presidente equato-guineense, está a visitar o Arquipélago de Cabo Verde, recebido logo no primeiro dia pelo chefe de Estado caboverdiano, no Palácio do Platô, onde reafirmaram a importância da cooperação entre os seus 2 países.

Mas, o presidente da Guiné Equatorial, começou logo, por pôr em pratos limpos, a questão da pena de morte que divide os membros da comunidade lúsofona da CPLP, de que é membro.

Teodoro Obiang, declarou no final do encontro com Jorge Carlos Fonseca, que a Guiné Equatorial, aceitou que o seu país tem de abolir a pena de morte, mas a seu ritmo e "sem pressa".

"Nós aceitamos, evidentemente, abolir a pena de morte, tanto mais que demos indicações ao Parlamento para tratar esta questão para que em breve tenhamos uma lei da abolição da pena de morte."

O Presidente de Cabo Verde, Jorge Carlos Fonseca, jurisconsulto, contra a pena de morte tinha prometido antes do encontro que abordaria a questão com o seu homólogo da Guiné Equatorial.

Também o chefe da diplomacia de Angola, Manuel Augusto, declarou, em Luanda, a esse propósito que o seu  país "não faz ultimatos a ninguém, nem os aceita, mas um dos princípios da CPLP é "abolir a pena de morte".

Por seu lado, o primeiro-ministro português, António Costa, declarou em Lisboa, que a Guiné Equatorial "tem que se rever num quadro comum" sem pena de morte.

Mas, o Presidente da Guiné Equatorial, conhecendo estes diferentes pontos de vista, mandou também recados, sublinhando que o seu país não tem de agir sob "pressão" e que tudo deve ser feito, "num quadro de processo político que satisfaça as duas partes". 

Em matéria de cooperação, o Presidente da Guiné Equatorial, elogiou a cooperação com Cabo Verde e agradeceu a "assistência de técnicos caboverdianos" que colaboram com o seu país no sector das novas tecnologias.

Mas, Teodoro Obiang, disse ainda que essa cooperação pode ainda ser reforçada, nomeadamente, no sector das pescas, tendo em conta que há muito peixe nos mares de Cabo Verde, de que o seu país poderia igualmente beneficiar. 

Teodoro Obiang Nguema, Presidente da Guiné Equatorial 16/04/2019 ouvir