rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

Imigrantes França Migrantes Barco Humanitário Malta Líbia Itália Alemanha África Lusófona

Publicado a • Modificado a

Barco com migrantes vindos da costa líbia chegou a Malta

media
Barco Alan Kurdi da ONG alemã Sea Eye que ajuda migrantes da costa líbia a chegar a Malta Fabien Heinz/Sea-eye.org/Handout via REUTERS

Os 62 migrantes recolhidos há 10 dias na costa da Líbia, pelo navio humanitário da ONG alemã, Sea Eye, que a Europa recusou deixar atracar, finalmente, desembarcaram no Porto de La Valette, em Malta. Eles vão ser distribuídos por 4 países europeus, França, Portugal, Alemanha e Luxemburgo. 


Depois duma certa indefinição e mesmo recusa da Europa em deixar atracar o barco da ONG alemã Sea-Eye, bloqueado há 10 dias com 62 migrantes recolhidos na costa da Líbia, os europeus, decidiram dar luz verde à passagem do navio que pôde chegar hoje ao Porto de La Valette, capital de Malta.

Isto aconteceu depois de um acordo de partilha dos 62 migrantes entre 4 países europeus, Alemanha, França, Portugal e Luxemburgo. 

Os 62 africanos juntaram-se no porto de La Valettte a duas mulheres que faziam parte do grupo, mas que antes tiveram de ser evacuadas por razões médicas.

Mas, Malta aceitou os migrantes, com a condição de ser apenas como ponto de passagem para os 4 outros países europeus, alegando, "não poder arcar sozinha com o fardo", declarou o primeiro-ministro maltês, Joseph Muscat.

França recebe 20 dos 64 migrantes

A França, disponibilizou-se ontem a receber 20 desses migrantes e hoje a Alemanha, declarou que recebe 26. Os restantes são distribuídos entre Portugal e Luxemburgo.

De notar que os 64 migrantes, dos quais 12 mulheres e duas crianças de 1 e 6 anos, tinham chamado para o número de telefone de assistência da associação Watch the Med, no dia 3 de abril, quando o barco estava à deriva ao largo da costa marítima da Líbia. 

Depois de terem sido salvos, o barco da ONG Sea Eye de bandeira alemã rumou para a ilha italiana de Lampedusa, mas o ministro italiano do Interior, Matteo Salvini, recusou recebê-los, argumentando, que a questão era da responsabilidade de Berlim, Alemanha. 

Mais migrantes vindos da Líbia chegam à Europa 13/04/2019 ouvir