rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo
Revista de Imprensa
rss itunes

França quer taxa contra empresas digitais GAFA

Por João Matos

As primeiras páginas dos jornais franceses estão dominadas por uma actualidade francesa fiscal de empesas digitais, violação sexual, pensão  alimentar, enquanto ao nível internacional as ambições mundiais do presidente chinês são contestadas.

China: ambições contrariadas de Xi Jinping, titula, LE MONDE. No momento em que decorre a sessão anual da Assembleia nacional popular, a China vê as suas ambições  internacionais combatidas. Um crescimento estagnado, desemprego em alta, guerra comercial com os Estados Unidos e multiplicação de acusações de espionagem tecnológica. 

O presidente Xi Jinping amordaça debates internos numa altura em que a população pede mais educação, habitação e poder de compra. Um estudo tornado público esta quarta-feira comprova uma quebra nos investimentos chineses na União europeia que implementou dispositivos de protecção.

Cada vez mais, Bruxelas e Estados membros deixam de hesitar em demonstrar a sua oposição a aquisições de empresas estratégicas por parte da China, nota, LE MONDE. 

Em matéria de fiscalidade, o mesmo vespertino destaca igualmente o bom exemplo duma taxa que deve ser imposta às empresas digitais GAFA, Google, Apple, Facebook e Amazon.  A taxa francesa dos dos gigantes da Net deve ser uma primeira etapa dum projecto mais ambicioso da organização de cooperação e de desenvolviemnto económico.

A taxa GAFA à francesa apresentada hoje em conselho de ministros depois de várias iniciativas similiares no Reino Unido, em Espanha ou na Áustria, deverá arrecadar 500 milhões de euros este ano e em 2020, mas é uma pequena soma, comparada com os milhares de milhões de euros dos lucros das empresas digitais GAFA. Mas é um bom exemplo francês que devia inspirar mais países europeus, acrescenta LE MONDE. 

França passa à ofensiva taxando os gigantes da NET, replica, em título, LE FIGARO. Bruno Le Maire, ministro da economia apresentou em conselho d eministros a sua taxa GAFA, que prevê arrecadar 3% de impostos sobre o volume de negócios dos grandes grupos digitais.

Taxa dos GAFA, a França impõe-se, escreve por seu lado, LIBÉRATION, que no entanto puxa para títiulo principal, a outra violência feita às mulheres. Referência a pensões que não lhes são pagas. Face à precariedade de famílias monoparentais, a plataforma de reflexão Terra Nova apresentar pistas para lutar contra maus pagadores de pensão alimentar.

Por seu  lado, L'HUMANITÉ, titula sobre violência sexual, acusações de jovens comunistas. Não nos calaremos. Elas são vítimas da parte de outros membros do seu próprio partido ou movimento. Depois de vários anos de silêncio, várias jovens decidiram testemunhar e denunciar o silêncio em torno do seu discurso que não é escutado ou minimizado.

Quaresma, regresso ao jejum, titula, LA CROIX. Com o início hoje da quaresma,  período das cinzas, o jejum preconizado pela Igreja durante este tempo litúrgico adopta novas formas, com posturas mais espirituais e menos rituais.

Enfim em relação à África, LE MONDE, destaca Argélia, familiares de Bouteflika contestadas nesta altura das eleições presidenciais. 

Tunísia: primeira volta de eleição presidencial consagra dois independentes

Parlamento britânico bloqueia estratégia de Boris Johnson sobre Brexit