rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

França Paris Primeira Guerra Mundial Emmanuel Macron Presidente Mundo

Publicado a • Modificado a

Paris recorda 100 anos do armistício da grande guerra mundial

media
Presidente francês, Emmanuel Macron, discursando, em Paris, nas comemorações dos 100 anos da primeira guerra mundial Francois Mori/Pool via REUTERS

100 anos depois do fim da primeira guerra mundial, o presidente francês, Macron, recordou este aniversário, num discurso à paz no mundo, proferido no Arco do Triunfo em Paris, perante 84 chefes de estado e de governo, que vieram participar nestas comemorações.


O Presidente da França, Emmanuel Macron, recebeu esta manhã no Eliseu, dezenas de chefes de estado e de governo, nomeadamente, os presidentes americano, Trump e russo, Putin e a chanceler alemã, Merkel, antes de se juntarem às comemorações do fim da primeira guerra mundial.

Comemorações que decorreram no Arco do Triunfo, em Paris, com o chefe de Estado francês, Macron, a fazer um elogio à paz e solidariedade, perante, centenas de convidados, nomeadamente, 84 presidentes e chefes de governo e esposas do mundo inteiro.

O Presidente Macron, insistiu no seu discurso nas lições a tirar da sangrenta Grande Guerra de 14-18, que fez 10 milhões de soldados mortos, franceses, ingleses, americanos e outras nacionalidades e milhares de feridos.

Mas ao todo, a Grande guerra, fez mais de 18,5 milhões de mortos, acrescentando civis.

As cerimónias decorreram debaixo de chuva e de um forte dispositivo policial, com mais de 10.000 polícias garantindo a ordem e segurança dos convidados do chefe de Estado francês, Macron.

"1918, foi há 100 anos, o que parece longe no tempo. Mas foi ontem", declarou o chefe de Estado da França, Emmanuel Macron.

O Presidente anfitrião, o único a discursar nestas comemorações do fim da primeira grande guerra, disse ainda no seu discurso:

"Lembremo-nos! Não nos esqueçamos! Quando a lembrança desses sacrifícios nos exortam  a sermos dignos daqueles que morreram por nós, para que pudéssemos viver livres (...).

"Esta visão da França, como nação generosa, da França, como projecto, da França, estandarte de valores universais, foi, nessas horas sombrias, exactamente, o contrário do egoísmo de um povo que só defende os seus interesses, na medida em que, o patriotismo é exactamente o contrário do nacionalismo; o nacionalismo é a sua traição."

O Presidente Macron enviou ainda umas farpas, acrescentando:"quando se diz, primeiro os nossos interresses e não nos interessa os outros, apaga-se aquilo que uma nação tem de mais precioso, o que a faz viver, o que a faz ser grande, o que é o mais importante: os seus valores morais", sublinhou, Macron.

Presidente francês, Emmanuel Macron e os 100 anos da Grande Guerra 11/11/2018 ouvir

As comemorações dos 100 anos da Grande guerra mundial, prosseguiram, esta tarde, com o Forum de Paris sobre a Paz, onde o Presidente Macron, falou do multilateralismo e da solidariedade, na presença dos seus homólogos, mas, na ausência de Donald Trump, que, desde o início, disse, que não participaria.

Donald Trump, preferiu, ir honrar, no cemitério americano, de Suresnes, a memória dos soldados americanos tombados durante a guerra de 14-18. 

Comemorações dos 100 anos da Grande guerra 11/11/2018 ouvir