rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

Comemoração Paris Primeira Guerra Mundial Emmanuel Macron Donald Trump Angela Merkel Europa

Publicado a • Modificado a

Trump dispara tuítes nos 100 anos da Grande Guerra mundial

media
Presidente americano, Donald Trump recebido no Eliseu pelo homólogo francês, Emmanuel Macron, por ocasião dos 100 anos do fim da guerra mundial de 14-18 Christophe Petit Tesson/Pool via REUTERS

O Presidente francês, Macron recebeu hoje no Eliseu, o seu homólogo americano, Trump, no quadro das comemorações dos 100 anos do fim da primeira Guerra mundial. Encontro num clima de tensão, com o presidente Macron, a defender um exército europeu, enquanto Trump, tuítava, que a Europa devia antes pensar em pagar dívidas à NATO, subsidiada grandemente pelos Estados Unidos.


No quadro das comemorações dos 100 anos da primeira guerra mundial, o Presidente francês, Emmanuel Macron, recebeu hoje no Eliseu, o seu homólogo americano, Donald Trump, num clima de tensão, entre os 2 estadistas.

O Presidente Trump, tinha enviado ontem um autêntico missil-tuíte, qualificando de "insultuosas" palavras do presidente Macron, que horas antes, declarou numa entrevista à Radio Europe 1, que a Europa tem de construir o seu próprio exército, perante "ameaças da Rússia".

O chefe da Casa Branca, na sua conta twitter, escreveu que "o Presidente Macron da França, sugeriu que a Europa construísse o seu próprio exército militar para se proteger dos Estados Unidos, da Rússia e da China. Muito insultuoso, porque primeiro a Europa devia pagar a sua quota parte das despesas da NATO, fortemente subsidiada pelos Estados Unidos".

Diplomacia contra guerra de tuítes

Hoje ao receber o presidente americano no Eliseu, o Presidente Macron, diplomaticamente, declarou que "celebramos aqui a amizade entre os nossos povos, os nossos exércitos e a formidável solidariedade que houve entre os nossos dois países velhos aliados".

Macron, prosseguiu, dizendo que "com certeza que partilha com o Presidente Trump, as propostas feitas sobre as capacidades estratégicas europeias e uma Europa que possa assumir mais com a sua quota parte do fardo comum no seio da NATO. Em todo o caso estou muito contente de receber de novo o meu amigo e Presidente Trump", acrescentou, Macron.

O Presidente americano Trump, respondeu, saudando a relação de "amizade" com o seu homólogo francês, sublinhando":

"Temos muitas coisas em comum em vários aspectos, talvez, certas pessoas pensem o contrário, mas partilhamos a mesma visão sobre muitas coisas".

"Aprecio grandemente o que o Presidente Macron, acabou de dizer sobre a partilha do financiamento da defesa. Desejamos que a Europa seja forte, devemos trabalhar de maneira eficaz a fim de reforçar a Europa, o que todos desejamos", sublinhou, Trump.

Durante o encontro, os dois Presidentes analisaram questões de política internacional, nomeadamente, no dizer, de Emmanuel Macron, "a luta contra o terrorismo, a defesa europeia, Irão, Síria, Golfo, Líbia e outras questões de interesse comum da França e dos Estados Unidos.

Comemorações do fim da Primeira Guerra mundial
 

Com os pontos nos ii, os dois presidentes, falaram sobre o programa do centenário da Guerra de 14-18, deste fim-de-semana.

Macron recebe no Eliseu Trump 10/11/2018 ouvir

Por outro lado, 100 anos após o fim da primeira guerra mundial, o presidente francês, Macron recolheu-se com a chanceler alemã, Angela Merkel, no Memorial da Clareira do Armistício, em Compiègne, a 60 quilómetros a norte de Paris, ante-penútima etapa da "itinerância memorial de Macron, antes das cerimónias de amanhã.

O presidente francês e a chanceler alemã, passaram igualmente em revista os soldados da brigada franco-alemã, descerrando uma placa comemorativa e colocando uma coroa de flores na Clareira de Rethondes, igualmente, na floresta de Compiègne, onde foi assinado o armistício da Guerra de 14-18.

O ponto alto destas comemorações, acontece, aliás, amanhã, 11 de novembro, data oficial, da assinatura do armistício, comemorações na presença de cerca de 60 chefes de Estado e de governo.

Estes 100 anos do fim da primeira grande guerra mundial, contam com uma série de actividades, nomeadamente, um Forum para a paz no mundo, na ausência do presidente americano, Trump, que anulou, hoje, igualmente, uma visita ao cemitério americano dos Bosques Belleau, a 100 quilómetros de Paris, devido ao mau tempo.

Comemorações Armistício de Merkel e Macron 10/11/2018 ouvir