rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

França Paquistão Justiça Cristianismo Pena de morte

Publicado a • Modificado a

França disposta a acolher Asia Bibi

media
As filhas da paquistanesa Asia Bibi, com imagem da sua mãe, em frente ao local onde moravam na província de Punjab. REUTERS/Adrees Latif/File Photo

Asia Bibi foi libertada, esta madrugada, mas continua num "lugar seguro" no Paquistão. A França está disposta a receber a cristã paquistanesa e a sua família.


De acordo com um porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros, Muhammad Faisal, Asia Bibi "encontra-se num local seguro no Paquistão". Declarações que contrariam vários meios de comunicação social que tinha avançado com a saída da paquistanesa do país durante a noite.

Saiful Malook, advogada de Asia Bibi havia garantido que: "ela foi libertada e disseram-me que estava num avião, mas ninguém sabe onde vai aterrar", segundo um comunicado enviado à agência de notícias France-Presse.

A vida da cristã paquistanesa está em risco no seu país, uma vez que os extremistas islâmicos rejeitam o veredicto que dita a libertação do Supremo Tribunal. A família de Bibi pediu nos últimos dias a ajuda de vários países ocidentais para os receber.

Quem respondeu positivamente a este apelo foi a França, pela voz do ministro dos Negócios Estrangeiros Jean-Yves Le Drian: “Trabalhamos, de forma extremamente dura e comprometida, com os nossos parceiros europeus, com organizações internacionais para obter a sua saída do país. A França está pronta, se essa for a sua vontade e a vontade da sua família, para receber Asia Bibi, se assim ela o solicitar".

Asia Bibi, com cerca de 50 anos e mãe de cinco filhos, foi acusada de blasfémia em 2009, após ter alegadamente insultado o profeta Maomé durante uma discussão com um grupo de mulheres com quem trabalhava. Em 2010, um tribunal paquistanês decretou a pena capital.