rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo
Revista de Imprensa
rss itunes

França na final do Mundial de futebol e na imprensa

Por João Matos

As primeira páginas dos jornais franceses estão dominadas por Trump na cimeira da NATO e reacções e comentários apuramento da França para a final do Mundial de futebol, na Rússia. 

Exactamente, L'ÉQUIPE, titula, depois da vitória da França de 1-0 frente à Bélgica, agoraos azuis  as cabeças estão nas estrelas. Graças a um golo de cabeça de Samuel Umtiti, a França pode sonhar com um segundo título de campeã mundial, 20 depois da primeira estrela de 1998.

Um momento de felicidade para a França, relança, LE MONDE. Os Azuis ganharam a Bélgica por 1-0 e estão no domingo na final. Esta vitória foi saudada com muita alegria em todo o país deixando no ar um perfume de 1998; a França vai pois tentar no domingo ganhar o seu segundo título de campeã do mundo.

"Faremos tudo, para, desta vez, ficarmos do bom lado", insistiu o seleccionador, Didier Descahamps, ainda traumatizado pela derrota na final do Euro de 2016, nota LE MONDE.

Mundial, em grande, no domingo! replica, LIBÉRATION. No final de um jogo renhido a França conseguiu o apuramento ganhando à Bélgica por 1-0. Próximo encontro no domingo frente à Croácia ou Inglaterra, que esta noite jogam para a final.

O sonho a azul continua, titula, LE FIGARO. A vitória da França fez crescer o entusiasmo em todo o país antes da final no domingo, em Moscovo. Heróicos, os azuis podem sonhar com uma segunda estrela, ao disputar, no domingo a sua terceira final da Copa do mundo de futebol da sua história, nota LE FIGARO.

AUJORD'HUI EN FRANCE, titula, estamos na final, às porta do paraíso. É o mesmo jornal, que se refere à transferência do ano. Cristiano Ronaldo deixa Real Madrid para Juventus contra 100 milhões de euros. O português de 33 anos deixa a Espanha apos 9 anos de performances colectivas e individuais.

Mudando de assunto LA CROIX, titula, Donald Trump, ameaça a NATO. O presidente americano condiciona o seu apoio à NATO não somente às despesas militares dos aliados, mas, igualmente, ao reequilíbrio das relações comerciais. Trump critica a Alemanha que não gasta o suficiente para a sua segurança.

Para atingir a barreira simbólica dos 2%, Berlim, terá de duplicar as suas despesas militares e dispender 40 mil milhões a mais daqui a 2024, acrescenta LA CROIX.

NATO: Trump continua a reclamar mais para a guerra, replica, L'HUMANITÉ. No seu editorial, intitulado, Guerra, L'HUMANITÉ, escreve que Trump chega à cimeira dos 28 países aliados com o discurso de morgue belicosa. Ele que tinha qualificado a NATO de obsoleta em 2017 exige que todos respeitem os seus compromissos.

A França, no seu papel de soldado razo já prometeu cumprir com os 2% do PIB do país, até ao fim do mandato de Macron, privando assim os orçamentos sociais da educação ou da cultura.

Em relação à África, LIBÉRATION, dá relevo à RDC, terror táctico en Ituri? Manobras de estados vizinhos ou do poder, interesses locais ou simples conflito étnico... tendo como pano fundo a desconfiança histórica entre as comunidades hema e lendu, a violência que provocou em março 260 mortos e milhares de deslocados para o leste do país, continuam por esclarecer.

Aqueles que nos "atacaram continuam a viver por perto e estão a observar-nos", afirma Jeanette, refugiada de um campo.

Por seu lado, LE MONDE, destaca, Abiy Ahmed, o rosto da mudança na Etiópia. O primeiro-ministro etíope, reforma o país de modo desenfreado, correndo o risco de contrariar a velha guarda. "As coisas que ele fez em três meses eram impensáveis para a maioria dos activistas", o blogger Atnafu Berhane.