rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

Violência Polícia Édouard Philippe Nantes

Publicado a • Modificado a

França: polícia sob custódia após morte de jovem

media
Edouard Philippe condenou com firmeza a 5 de Julho as violências que abalaram vários bairros em Nantes após a morte de jovem num controlo policial. AFP

Foi colocado nesta quinta sob custódia da justiça o polícia que disparou contra um jovem aquando de um controlo em Nantes na passada terça-feira. O jovem acabara por falecer no hospital, desde então esta cidade do Oeste da França vive ao ritmo dos motins condenados no local pelo primeiro-ministro Edouard Philippe.


A morte de Aboubakar Fofana de 22 anos na noite de terça-feira em Nantes aquando de um controlo da polícia continua a suscitar uma onda de violência.

O único disparo efectuado por um polícia no local atingiu o jovem no pescoço e este acabou por morrer no hospital.

O primeiro-ministro Edouard Philippe deslocou-se ao local e condenou com "a maior firmeza" os desacatos: só na noite de quarta para quinta-feira 19 pessoas foram detidas e 11 pessoas estão sob custódia policial.

A maior parte das detenções ocorreu no bairro de Breil onde foi atingido o jovem embora este fosse originário dos subúrbios de Paris, de Garges-lès-Gonesse, localidade onde também se registaram actos de violência.

Detenções em Nantes que ocorrem na sequência de prédios públicos incendiados, incluindo uma biblioteca, uma câmara, um infantário e cerca de dez lojas, uma farmácia foi destruída e foram queimados cerca de quarenta carros na noite passada.

Vários polícias ficaram feridos. A família de Aboubakar Fofana apelou à calma nesta quarta à noite, através do seu advogado.

Uma marcha branca de repúdio pela morte do jovem foi agendada para esta quinta-feira no local do ocorrido.

O chefe de governo criticou a violência que tem pontuado a cidade na sequência desta ocorrência.

"Destruir equipamentos públicos, atacar as forças da ordem... é, antes de mais e sobretudo, ensombrar as perspectivas dos habitantes destes bairros e prejudicar o seu desenvolvimento, quando queremos todos o contrário.

Seremos obviamente exigentes para que se faça completamente luz neste caso com a maior das transparências sobre as circunstâncias da morte de um indivíduo na sequência de um controlo da polícia.

Também indiquei que a presença das forças da ordem nas próximas semanas, e meses e anos será reforçada na zona de Nantes.

O que é, obviamente, um elemento de resposta a longo prazo.

Finalmente garanti à presidente da câmara de Nantes o apoio do governo e da sequência das nossas políticas públicas ambiciosas nesta zona urbana, no seu conjunto, como é evidente, mas também nestes bairros."

Edouard Philippe, primeiro-ministro francês 05/07/2018 ouvir