rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

Publicado a • Modificado a

Marine Le Pen fala em "perseguição política"

media
Marine Le Pen fala em "perseguição política" REUTERS/Emmanuel Foudrot

O Tribunal da União Europeia divulgou em acórdão, esta terça-feira, que Marine Le Pen tem de devolver quase 300 mil de euros ao Parlamento Europeu por uso indevido de verbas, enquanto eurodeputada. Marine Le Pen diz que vai recorrer da decisão e fala em perseguição política.


Marine Le Pen vai ter de devolver quase 300 mil euros ao Parlamento Europeu por uso indevido de verbas utilizadas para pagar uma assistente parlamentar. A decisão foi divulgada hoje em acórdão pelo Tribunal da União Europeia.

“A Senhora Le Pen não conseguiu provar que a sua assistente realizou um trabalho concreto. (…) Ela não forneceu nenhuma prova da actividade da assistente parlamentar”, justificaram os juízes do Luxemburgo.

Marine Le Pen já veio contestar a decisão e diz-se determinada em ir até ao fim, naquilo que considera ser uma “perseguição política”.

União Nacional, partido liderado por Le Pen, indicou ainda em comunicado que vão recorrer do acórdão junto do Tribunal de Justiça, alegando “violações dos direitos da defesa”.

O Tribunal Geral negou, desta forma, provimento ao recurso de Marine Le Pen e confirma a decisão do Parlamento Europeu de exigir a devolução de cerca 300 mil de euros, que a ex-deputada recebeu entre Dezembro de 2010 e Fevereiro de 2016.

Marine Le Pen foi indiciada, em 2017, por abuso de confiança no caso dos assistentes parlamentares, um caso onde o Parlamento Europeu estima ter sido lesado em cerca de cinco milhões de euros.