rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

França Bélgica Atentado Terrorismo Salah Abdeslam Grupo Estado Islâmico

Publicado a • Modificado a

"Não haverá recurso para Salah Abdeslam"

media
"Não haverá recurso para Salah Abdeslam". REUTERS/Yves Capelle

Salah Abdeslam não vai recorrer da decisão da justiça depois da condenação na Bélgica, a mesma decisão foi tomada pelo co-acusado Sofiane Ayari.Os dois homens foram condenados a 20 anos de prisão por terem disparado sobre a polícia.


«O senhor Ayari não vai recorrer da decisão», indicou esta quarta-feira o advogado, Me Isa Gultaslar, AFP.

O advogado de Salah Abdeslam já tinha anunciado, no passado dia 14 de Maio, que o seu cliente tinha decidido não recorrer da decisão. Também o Ministério Público, cujas acusações foram seguidas em primeira instância, confirmou que não pretende que os factos voltem a ser julgados.

Salah Abdeslam é o único membro em vida do comando que fez 130 mortos no passado dia 13 de Novembro de 2015 em Paris e um suspeito chave no inquérito destes atentados, os piores jamais cometidos em solo francês e reivindicados pelo grupo Estado Islâmico.

Abdeslam será julgado no próximo mês em França por estes mesmos factos. O jihadista francês de 28 anos e de origem marroquina, terá desafiado os juízes no primeiro dia do processo em Bruxelas, em Fevereiro, ao afirmar “coloco a minha confiança em Allah e é tudo”. Salah Abdeslam terá em seguida recusado comparecer em tribunal.

Na altura do tiroteio em Bruxelas, a 15 de Março de 2016 na localidade de Forest, Abdeslam que era o homem mais procurado em toda Europa procurou abrigo na Bélgica junto dos membros da célula terrorista que esteve na origem deste atentado.

Salah Abdeslam e Sofiane Ayari, um jihadista de 24 anos, foram condenados no passado dia 23 de Abril pelo Tribunal Correccional de Bruxelas a 20 anos de prisão por terem disparado sobre a polícia