rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

França Banco Portugal Greve Economia Política

Publicado a • Modificado a

Deputada juntou-se aos grevistas da CGD em França

media
Mariana Mortágua, deputada do Bloco de Esquerda. Paris, 9 de Maio de 2018. Carina Branco

Ao 23° dia de greve, os trabalhadores da sucursal em França da Caixa Geral de Depósitos (CGD) receberam a visita e o apoio de Mariana Mortágua. A deputada portuguesa comprometeu-se a levar a mensagem para Portugal e a ajudar numa eventual “comunicação entre os trabalhadores e o governo”.


Perante várias dezenas de trabalhadores, em greve há 23 dias, a deputada Mariana Mortágua fez um pequeno discurso em que manifestou o seu apoio e se disponibilizou para ajudar.

A deputada bloquista disse que o banco "não pode deixar à mercê quase 600 trabalhadores nem uma imensa comunidade de emigrantes portugueses que vive em França" e disse que "a Caixa precisa de uma sucursal em França".

Mariana Mortágua afirmou que a CGD deve ser o banco que "respeita os seus trabalhadores", considerando "ilegal" que estes não possam aceder ao plano de reestruturação do banco que foi acordado com Bruxelas.

"Decidimos vir cá para dar, de alguma forma, o nosso apoio à luta destes trabalhadores", afirmou à imprensa, adiantando que se disponibiliza para "fazer tudo o que estiver ao alcance, dentro dos mecanismos parlamentares, para facilitar a comunicação entre estas pessoas e o governo".

Mariana Mortágua, Deputada 09/05/2018 ouvir

A "greve ilimitada" começou a 17 de abril na CGD em França, onde há 48 agências e mais de 500 trabalhadores.

A greve é apoiada pela intersindical FO e CFTC que teme a alienação da sucursal francesa, quer ter acesso ao plano de reestruturação do banco e denuncia atrasos nos aumentos salariais e disfuncionamentos com impactos na saúde dos trabalhadores.