rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

Paris França Julgamento atentados Saint-Denis Tribunal África Lusófona

Publicado a • Modificado a

Tribunal de Paris julga cúmplices de atentados terroristas de 2015

media
Mokono, 1 dos feridos dos atentados de 2015 em França, à sua chegada num tribunal de Paris, que julga suspeitos REUTERS/Christian Hartmann

Um tribunal de Paris julga desde ontem e por 3 semanas, Jawad Bandaoud, delinquente reincidente ligado aos atentados de 13 novembro de 2015 em França. É o primeiro julgamento sobre os atentados e dos 3 réus que comparecem no tribunal, Jawad, é o mais mediático, porque recebeu no seu apartamento de S. Denis, o presumível organizador dos atentados, Abdelhamid Abaaoud.


 "Eu não me enquadro no terrorismo, mas na delinquência", declarou, esta quinta-feira, (25) num Tribunal de Paris, Mohamed Soumah, cúmplice de Jawad Bendaoud, que recebeu, no seu apartamento, o presumível organizador dos atentados terroristas de 13 de novembro de 2015, em Paris e S.Denis, sua região suburbana do norte da capital.

Mohamed Soumah, é julgado, ao lado de Jawad Bendaoud, por "crime de malfeitores terroristas", tendo, no começo do seu interrogatório pela presidente do Tribunal, Isabelle Prévost-Desprez, pedido "perdão às famílias das vítimas"dos atentados que fizeram, em novembro de 2015, 130 mortos e 400 feridos.

Ele serviu de ligação entre Jawad Bendaoud e uma rapariga Hasna Aïtboulahcen, que procura um apartamento para dois jiadistas, o cabecilha, Abdelhamid Abaaoud e Chakib Akrouh, acrescentando desconhecer esse pormenor.

Os 2 jiadistas e a jovem rapariga estavam no apartamento, quando forças especiais francesas deram o assalto a 18 de novembro de 2015, em S. Denis.

O interrogatório de Jawad Bendaoud, devia começar ao fim da tarde, mas ainda não houve declarações sobre o seu testemunho. Desde ontem manteve-se calmo e com um ar triste no tribunal.

Jawad Bendaoud, é também um delinquente que passou várias vezes pela prisão, por crimes de delito comum.

Resta saber se ele tinha relações com os terroristas e se estava a par dos planos dos atentados de 2015.

Por várias vezes e desde os primeiros dias após os atentados, a imprensa chegou a fazer relatos sobre as suas impressões digitais, encontradas no famigerado apartamento de S. Denis, no norte de Paris.

Tribunal de Paris começou a julgar suspeitos de atentados de 2015 25/01/2018 ouvir