rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

França Emmanuel Macron Qatar Contrato Terrorismo Arábia Saudita

Publicado a • Modificado a

França: Macron assina contratos com Qatar

media
O Presidente Emmanuel Macron com o Emir do Qatar Sheikh Tamim bin Hamad al-Thani em Doha.07 de Dezembro de 2017 REUTERS/Naseem Zeitoon

No decurso da sua visita ao Qatar, para além de abordar com as autoridades locais a questão do terrorismo, o Presidente Emmanuel Macron, concluiu também um pacote de negócios no valor de 11 mil milhões de euros. Entre os bens que vão ser adquiridos pelo Qatar estão nomeadamente avioões de combate Rafale e de transporte de passageiros.Segundo o chefe de Estado francês os contratos de venda rubricado em Doha entre a França e o Qatar, vão beneficiar a economia e consolidar o emprego nacional.


No âmbito do seu périplo pelo Médio-Oriente, o Presidente Emmanuel Macron visitou sucessivamente,os Emirados Árabes Unidos e o Qatar. A agenda da viagem do Chefe de Estado francês foi dominada pela luta contra o terrorismo. Emmanuel Macron insistiu na necessidade de não se financiar as estruturas que alimentam o terrorismo. Recentemente ,o Qatar foi acusado pela Arábia Saudita de apoiar financeiramente redes terroristas, acusação desmentida pelo governo de Qatar.

Desde há seis meses que o Qatar é submetido à um bloqueio pelos sauditas e os seus vizinhos,devido à referida acusação. De acordo com analistas na região do Golfo, o governo do Qatar tem procurado apoios externos, sobretudo entre os países ocidentais, de forma a superar o bloqueio imposto por Riade e os seus parceiros.

Os contratos comerciais, que as autoridades qataris têm assinado nos últimos meses com várias firmas europeias sob o beneplácito dos seus respectivos Estados , segundo os observadores melhor informados, enquadram-se numa estratégia que visa pôr termo ao isolamento de Doha na sua  região.

Acusado de proximidade com o Irão, o Qatar reforça por conseguinte a sua cooperação económica com a França, um parceiro precioso na estratégia qatari para neutralizar a pressão de Riade e dos países árabes hostis às autoridades de Doha.A França assinou com o Qatar um pacote de contratos no valor de 11 mil milhões de euros, que de acordo com o Presidente Macron, significa a importância da cooperação estratégica entre Paris e Doha. O Chefe de Estado francês sublinhou que antes de mais, é uma relação económica de Estado à Estado e não de intermediários que visam o lucro.

Presidente Emmanuel Macron 07.12.2017 07/12/2017 ouvir

"Os contratos que foram assinados devem-se à qualidade das empresas francesas e ao importante trabalho desenvolvido pelos nossos ministros. Os mesmos vão contribuir para a criação de empregos,bem como recompensam o bom trabalho das grandes firmas francesas . Não se tratam de contratos entre negociantes, que vão permitir tal e tal empresário, lucrar . São contratos entre o Estado e empresas, que correspondem à objectivos, com um caderno de obrigações estabelecido com muito profissionalismo pelas autoridades do Qatar. Os contratos foram obtidos, porque existe entre os nossos dois países uma relação estratégica muito forte, no plano económico e militar, e também porque as empresas foram capazes de responder aos imperativos". (Presidente Macron).

Os setores da aviação de combate e comercial , serão os principais beneficiados dos contratos assinados em Doha entre a França e o Qatar, que segundo Paris deve procurar um desfecho diplomático para as divergências com os seus vizinhos do Golfo, responsáveis pelo bloqueio imposto há seis meses.