rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

França Emmanuel Macron Deportação Judeus Jacques Chirac Benjamin Netanyahu

Publicado a • Modificado a

Emmanuel Macron reafirma responsabilidade da França na deportação de judeus em 1942

media
O Presidente Macron quando se preparava para receber o Primeiro-ministro de Israel, Benyamin Netanyahu.Paris.16 de Julho de 2017 REUTERS/Stephane Mahe

A França celebrou, neste domingo, em Paris, os setenta e cinco anos da memória dos judeus franceses,deportados em 1942 durante a Segunda Guerra Mundial para os campos de concentração nazis. Na época, a França estava sob a ocupação nazi e era governada pelo regime colaboracionista de Vichy, do qual o marechal Pétain foi uma das figuras eminentes. O Primeiro-ministro de Israel, Benyamin Netanyahu, assistiu à cerimónia.Pela ocasião,o Presidente Emmanuel Macron reafirmou a responsabilidade da França na deportação dos judeus para os campos de extermínio nazis, declarando que o governo de Vichy tinha organizado a rusga.


O Presidente Emmanuel Macron assinalou neste domingo o septuagésimo quinto aniversário da rusga que em 1942, levaria à deportação de judeus franceses para os campos de concentração nazis. A cerimónia decorreu próximo da agora ex- pista de ciclismo coberta, situada no décimo quinto distrito de Paris, onde foram concentrados todos judeus apreendidos pela polícia francesa.

Durante o acto , ao qual assistiu o Primeiro-ministro de Israel, Benyamin Netanyahu, o Chefe de Estado francês reafirmou a responsabilidade da França na deportação dos seus concidadaõs judeus. Emmanuel Macron sublinhou que a rusga tinha sido da inteira responsabilidade do então governo colaboracionista de Vichy. Em 1942 , período da Segunda Guerra Mundial, a França estava sob a ocupação nazi .

A cerimónia marca a data em que o regime de Vichy encetou a rusga de 13.152 judeus, levando-os para o então Vélodrome d'Hiver, mais conhecido pela abreviatura Vél d'Hiv.

Entre os apreendidos havia homens, mulheres e crianças .A rusga teve lugar em Paris e na sua região. Foi o antigo Presidente, Jacques Chirac, quem, em 1995 reconheceu pela primeira vez a responsabilidade do Estado francês, na deportação dos judeus. Das mais de treze mil pessoas enviadas para os campos de extermínio nazis, apenas cerca de 100 sobreviveram.

Entre elas ,a ex-ministra Simone Veil, recentemente falecida e cujos restos mortais vão ser sepultados no Panteão de Paris, monumento dedicado às grandes figuras da história de França.