rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

França Legislativas francesas 2017 Manuel Valls Jean-Luc Mélenchon François Bayrou

Publicado a • Modificado a

"Legislativas entre o calvário e a ambição"

media
Legislativas entre o calvário e a ambição REUTERS/Philippe Wojazer/Foto

Aqui em França os partidos continuam a preparar-se para as legislativas que terão lugar no próximo mês de Junho. Esta quarta-feira os Republicanos, a França Insubmissa e os Socialistas apresentaram as estratégias para o escrutínio e Manuel Valls ficou a saber que não reúne as condições para se apresentar pelo movimento Em Marcha.


É já conhecido como o calvário de Manuel Valls. O movimento em Marcha veio dizer que o antigo primeiro-ministro francês não reúne as condições necessárias para aderir ao movimento, Valls que tinha manifestado, ontem, a intenção de se apresentar pela maioria presidencial por Evry.

Outra aliança que fica pelo caminho é a dos comunistas com o movimento da França Insubmissa. Jean Luc Mélanchon anunciou esta quarta-feira que seria candidato às legislativas por Marselha.

Neste escrutínio a direita tem uma ambição. Os Republicanos que apresentaram hoje o projecto para as legislativas querem impor uma coabitação ao Presidente eleito, tendo François Baroin como primeiro-ministro.

Da ambição à vontade. O socialista Benoit Hamon disse esta manha que quer criar no próximo mês de Julho um movimento civil de reconstrução da esquerda, contudo reiterou a vontade de permanecer na família dos socialistas.

Quem vai deixar a família da Frente Nacional é Marion Le Pen. A jovem deputada, que era apontada como a possível sucessora de Marine Le Pen, evocou questões familiares e o desejo de ingressar no sector privado para justificar a decisão. Se a actual líder da Frente Nacional diz lamentar, mas aceitar a escolha, Jean Marie Le Pen, o fundador do partido de extrema direita, fala em deserção.