rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

França Ségolène Royal Chocolate Itália Polémica Nutella

Publicado a • Modificado a

Ministra francesa pede boicote ao Nutella e gera indignação na Itália

media
Nutella é a pasta de cacau e avelã mais famosa do mundo, líder do mercado na Europa. Flickr.com

A ministra francesa da Ecologia, Ségolène Royal, gerou uma onda de indignação na Itália nesta quarta-feira (17), ao pedir que os franceses boicotassem o Nutella. Em entrevista a uma rede de televisão, Royal acusou o principal produto da italiana Ferrero de contribuir com o desmatamento por conter em sua fórmula o nada ecológico óleo de palma.


"É preciso replantar as árvores de forma massiva devido ao imenso desmatamento que resulta também no aquecimento global. É preciso parar de comer Nutella, por exemplo, porque ele utiliza óleo de palma", disse Ségolène Royal na noite de segunda-feira (15) no programa Petit Journal do Canal Plus. A ministra também sugeriu que a marca utilize matérias-primas que causem menos estragos ao meio ambiente.

"Mas Nutella é bom", respondeu, imediatamente o jornalista Yann Barthes. "Mas não devemos mais consumi-lo porque, para obter o óleo de palma, desmatamos florestas e esses danos são consideráveis", reiterou Ségolène Royal.

Italianos indignados

O pedido de boicote se espalhou rapidamente por toda a Europa e gerou uma onda de indignação na Itália, de onde o produto é originário. "Que Ségolène Royal deixe os produtos italianos tranquilos. Hoje à noite no menu: pão e Nutella", escreveu no Twitter o ministro italiano do Meio Ambiente, Gian Luca Galletti.

Michele Anzaldi, deputado italiano do Partido Democrata, também denunciou no Twitter "uma derrapada malvada e grave da França sobre a excelência italiana". Já, segundo a imprensa do país, Agnese Landini, a mulher do primeiro-ministro Matteo Renzi, foi vista nesta tarde com a filha saboreando um crepe de Nutelle e chantilly.

Com a onda de revolta nas redes sociais, Ségolène Royal se viu obrigada a se retratar. No Twitter, a ministra escreveu: "Mil desculpas pela polêmica do Nutella. Estou de acordo sobre valorizar os progressos".

Ferrero se defende

A empresa que produz a pasta de cacau e avelã mais famosa do mundo também reagiu, dizendo estar "consciente de todas as questões ambientais" relacionadas ao produto. A Ferrero garantiu estar engajada na extração responsável do óleo de palma utilizada no Nutella.

A ong WWF é uma das maiores contestadoras dessa produção "ecológica" do óleo de palma alegado pela Ferrero. Para a organização, muitas empresas que afirmam comprar o produto de plantações que respeitam o meio ambiente não cumprem suas promessas.

Entre os diversos danos que causa, a produção massiva do óleo de palma é uma das grandes responsáveis pelo desmatamento de florestas tropicais, especialmente no sudeste asiático. Além disso, o cultivo também degrada a biodiversidade com a plantação forçada das palmas e ameaça animais que vivem em florestas tropicais, como os orangotangos.