rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

Paris Israel Faixa de Gaza Confrontos Polícia Violência Proibição Manifestação Protestos

Publicado a • Modificado a

Manifestação pró-Palestina termina com 70 detidos em Paris

media
A manifestação pró-Palestina deste sábado (26) em Paris foi marcada por incidentes com a polícia. REUTERS/Benoit Tessier

Uma manifestação em Paris em apoio aos palestinos, que não havia sido autorizada pelas autoridades, terminou neste sábado (26) por uma hora e meia de confrontos entre manifestantes e policiais. Setenta pessoas foram detidas e 30 permanecem sob custódia da polícia, segundo balanço do Ministério do Interior.

 


Atendendo ao chamado de associações pró-palestinas e partidos de extrema-esquerda, cerca de 5 mil manifestantes desafiaram a proibição oficial. O protesto começou de forma pacífica, por volta de 10h30 pelo horário de Brasília, na praça da República, centro da capital. Aos gritos, os participantes diziam “Israel assassino, François Hollande, cúmplice” e “somos todos palestinos". O dispositivo policial de 2 mil homens, encarregados de fazer a segurança, permaneceu à distância.

Porém, duas horas mais tarde, no momento da dispersão, começou a provocação, o empurra-empurra e quebra-quebra. Na correria, jornalistas que cobriam a passeata tiveram seus equipamentos danificados.

Participantes mais violentos, vários deles encapuzados, entraram em confronto com as forças de segurança, lançando pedras e garrafas contra o cordão policial. Lojas tiveram as vitrines quebradas. A polícia interveio com bombas de gás lacrimogênio. O Ministério do Interior atribuiu a violência a um pequeno grupo de "baderneiros incontroláveis".

O ministro do Interior, Bernard Cazeneuve, disse que as pessoas que permanecem sob custódia da polícia estavam armadas com matracas, objetos cortantes e "soco inglês". Cazeneuve afirmou que era visível a diferença entre uma maioria de manifestantes pacíficos e um punhado de vândalos. O ministro acrescentou que os responsáveis por agressões aos policiais e ao patrimônio público serão julgados sem concessão. Ainda, afirmou que não houve nenhum incidente grave pela ação preventiva e correta da polícia.

Outras manifestações pró-Palestina, sem incidentes, aconteceram em Nice, Lyon, Toulouse e Marselha.