rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

Al Qaeda Argélia Assassinato Crime França Islã Jihad Judaísmo Polícia Scooter Terrorismo

Publicado a • Modificado a

Polícia francesa cerca suspeito de crimes contra militares e escola judaica em Toulouse

media
Polícia francesa realiza cerco a suspeito do assassinato em Toulouse, nesta quarta-feira. REUTERS/Pascal Parrot

Uma unidade de elite da polícia francesa mantém o cerco a um prédio em Toulouse onde está o principal suspeito de ser o autor dos ataques a uma escola judaica e contra militares, cometidos na semana passada, que deixaram no total sete mortos. A operação começou às 3 horas desta madrugada em um bairro residencial da cidade.


O pequeno imóvel onde está o suspeito, em um apartamento do primeiro andar, está cercado. Houve troca de tiros e dois policiais ficaram feridos. As negociações continuam com o homem de 24 anos, que promete se render na tarde de hoje.

Mohamed Merah é de origem argelina e tem nacionalidade francesa. Segundo o ministro francês do Interior, Claude Guéant, que está no local e acompanha a operação, o jovem disse "ter várias armas", ser um mujahidine (militante armado islâmico) e integrante da rede terrorista Al Qaeda. Ele teria passado por treinamentos militares no Paquistão e no Afeganistão, onde chegou a ser preso em Kandahar, no sul do país.

"Ele diz querer vingar as crianças palestinas e ter querido atacar o Exército francês devido às suas intervenções no exterior", relatou o ministro do Interior.

A mãe de Mohamed foi levada ao local do cerco mas se recusou a entrar em contato com o filho e participar das negociações, justificando não ter controle sobre ele. A polícia também interpelou o irmão dele, uma peça importante no quebra-cabeça da polícia. Os dois e a esposa do irmão de Merah estão detidos para prestar esclarecimentos à polícia.

As investigações avançaram após a identificação do computador do irmão do suspeito, onde ficou registrado um encontro com a primeira vítima do atirador, um militar de Toulouse que colocou sua moto à venda em um site na internet. No momento do encontro, o militar, de 30 anos, foi morto à queima roupa. Outra pista foi a moto scooter usada pelo criminoso, um modelo da Yamaha. Os policiais visitaram várias concessionárias da marca na região e o funcionário de uma delas informou que um cliente tinha perguntado como eliminar um chip que permite localizar o veículo após um roubo.

Outras operações e investigações da polícia e da justiça estão em curso para esclarecer os vínculos do atirador com a rede terrorista internacional. O governo israelense felicitou a ação rápida da polícia francesa. Hoje é dia de luto na França mas também em Israel onde estão sendo enterrados os corpos das quatro vítimas do atirador na escola judaica. O rabino, seus dois filhos de 3 e 6 anos, e mais uma criança de 8, filha do diretor da escola tinham a nacionalidade franco-israelense e foram levados a Jerusalém. O chanceler francês Alain Juppé participa da cerimônia.

Na França, será realizado hoje à tarde o enterro dos três militares mortos nos crimes cometidos na semana passada pelo mesmo autor do ataque na escola de Toulouse. O presidente Nicolas Sarkozy e seu principal rival na corrida presidencial, François Hollande, participarão da cerimônia.