rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

Ébola Grã-Bretanha Enfermeira Tratamento Vírus

Publicado a • Modificado a

Cameron diz que reza pela enfermeira britânica contaminada pelo ebola

media
Uma enfermeira britânica recém-chegada de Serra Leoa foi contaminada pelo vírus ebola e está em estado crítico. REUTERS/Neil Hall

A enfermeira britânica de 39 anos que foi contaminada pelo vírus ebola em Serra Leoa permanece em um estado gravíssimo. O último boletim médico divulgado no domingo (4) pelo hospital Royal Free, em Londres, informa que nos últimos dias a saúde da enfermeira piorou. O primeiro-ministro David Cameron declarou que reza pela recuperação de Pauline Cafferkey.


A equipe médica tentou, sem sucesso, medicá-la com uma combinação de tratamentos experimentais. Entre eles, um medicamento antiviral e transfusões de plasma de um paciente que sobreviveu ao ebola. O objetivo da equipe médica era que os anticorpos desse sobrevivente pudessem ajudar a enfermeira a lutar contra o vírus.

O principal medicamento experimental contra a febre hemorrágica é o soro Zmapp, produzido nos Estados Unidos. O hospital londrino tentou receber doses dessa droga, mas por ser produzida apenas em uma escala muito pequena, não está mais disponível no momento.

Outros casos

No sábado, um enfermeiro sul-coreano que poderia ter contraído o ebola, em Serra Leoa, foi internado no hospital Charité, em Berlim. A hospitalização foi preventiva. O sul-coreano picou seu dedo com uma agulha contaminada, no dia 29 de dezembro, quando atendia um paciente na África. Até o momento, ele não apresenta sintomas da doença.

Nos Estados Unidos, um outro enfermeiro com suspeita de ebola está em observação em um hospital no estado de Nebraska (centro). Ele também esteve em Serra Leoa.

Em quase um ano, a epidemia de ebola já matou quase 8 mil pessoas. Serra Leoa, Libéria e Guiné são os países mais atingidos.