rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

Boxe Estados Unidos Justiça Morte Prisão

Publicado a • Modificado a

Morre Rubin Carter, boxeador que passou 20 anos preso por engano

media
Da esquerda para a direita: Denzel Washington, Rubin "Hurricane" Carter e Evander Holyfield. REUTERS/Fred Prouser/Files

Luto no boxe mundial. O ex-boxeador americano Rubin "Hurricane" Carter, que emocionou o mundo mundial ao ser preso injustamente, morreu ontem, aos 76 anos, em sua casa em Toronto, no Canadá.


Rubin “Hurricane” Carter morreu em decorrência de um câncer na próstata. O lutador de boxe ficou famoso pela ferocidade dos seus golpes. Ao longo da carreira, ele acumulou 27 vitórias, sendo 17 delas por nocaute. Mas, o furacão dos ringues também ficou famoso pela prisão injusta. Carter passou 19 anos na cadeia, acusado por um triplo homicídio.

Rubin "Hurricane" foi condenado sem provas em 1967 e sempre lutou para provar sua inocência. Ao ser finalmente libertado em 85, o juiz que cuidou do caso admitiu que a prisão do boxeador foi motivada pelo racismo e não pela razão.

A história inspirou de Carter inspirou o filme "The Hurricane" ("Hurricane - O Furacão"), com o ator Denzel Washington, e a música "Hurricane", do cantor e compositor Bob Dylan. 
Depois de conseguir a liberdade, Carter se engajou na luta contra erros judiciários. "Descanse em paz, Rubin. Sua luta acabou mas não será esquecido", escreveu a associação de defesa de vítimas de erros judiciários
AIDWYC. "Hurricane" Carter dirigiu a associação entre 1993 e 2005.

Em um texto publicado no dia 21 de fevereiro deste ano no jornal New York Daily News, Carter escreveu: Ficaria surpreso de encontrar o paraíso depois dessa vida. (...) Mas, durante meus anos nesse planeta, eu conheci o inferno nos 49 primeiros anos e, o paraíso, nos 28 últimos anos" .