rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

Cabo Verde CPLP Cimeira CPLP 2018 Mobilidade Jorge Carlos Fonseca IILP

Publicado a • Modificado a

Cabo Verde: presidência da CPLP deve traduzir-se em maior mobilidade

media
Jorge Carlos Fonseca, Presidente de Cabo Verde Liliana Henriques/RFI

Presidente de Cabo Verde Jorge Carlos Fonseca cujo país vai assumir a presidência da CPLP, quer que esta se traduza em "maior mobilidade no seio do espaço lusófono e que o IILP se torne mais eficiente".


Na XII Conferência de chefes de Estado e de Governo da CPLP, que vai decorrer na Ilha do Sal entre 17 e 18 de Julho sob o lema "Cultura, Pessoas e Oceanos", o Brasil cederá a Cabo Verde a presidência rotativa da organização lusófona nos próximos dois anos, enquanto Portugal vai assumir a sua direcção executiva.

O Presidente Jorge Carlos Fonseca reiterou esta terça-feira (10/07) que pretende que esta se traduza em "avanços na mobilidade, mesmo que seja por segmentos" e "mais eficiência" no seu instrumento linguístico o Instituto Internacional de Língua Portuguesa - IILP - que tem sede precisamente em Cabo Verde, mas padece do devido financiamento por parte dos países membros.

Jorge Carlos Fonseca, Presidente de Cabo Verde 11/07/2018 ouvir

"O ganho da presidência de Cabo Verde, pelo menos para mim como Presidente, tem que se traduzir em avanços no domínio da mobilidade, mesmo que seja uma mobilidade clara, por segmentos, mas sabendo de antemão que o que Cabo Verde pretenderia, em tese, pode não obter a adesão de todos os Estados membros, nós pretendemos uma declaração que se ajuste aos graus de adesão de cada país em relação à mobilidade.

...espero de tal forma que cada país possa em cada período aderir a propostas de mobilidade mais ou menos avançadas. Pretendemos também que haja avanços no domínio da cooperação económica e empresarial, pretendemos dar enfâse àquilo que tem a ver com a economia marítima, com os oceanos, com a economia azul.

...é o que pretendemos que seja traduzido na presidência de Cabo Verde, portanto uma CPLP mais dinâmica, com mais mobilidade de pessoas, de agentes económicos, mais enfâse também na problemática dos oceanos, uma preocupação também com a afirmação e difusão da língua portuguesa, a procura de uma solução mais eficiente para o IILP".