rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

Aviação Cabo Verde TACV Transporte Privatização

Publicado a • Modificado a

Cabo Verde Airlines vai fazer voos para Lagos e Luanda

media
Avião da TACV, doravante denominada Cabo Verde Airlines. DR

A TACV, agora designada de Cabo Verde Airlines vai começar a efectuar voos para Lagos e Luanda. O anúncio foi feito pelo Ministro do Turismo e Transportes, José Gonçalves, que afirmou que os voos da Cabo Verde Airlines para Angola e Nigéria têm como propósito trazer passageiros cujo destino final seja a Europa ou a América do Norte.


Segundo o ministro do Turismo e Transportes, os voos da Cabo Verde Airlines para Angola devem começar antes do fim do verão e, para a Nigéria, em Outubro deste ano. Neste sentido, as Agências de Aviação Civil de Cabo Verde e da Nigéria assinaram, na Terça-feira, na cidade da Praia, um memorando de entendimento que deverá facilitar os voos da Cabo Verde Airlines a Lagos, isto no quadro do hub aéreo com base no Sal.

Por outro lado, José Gonçalves garantiu que o processo de privatização da companhia aérea nacional vai vai ficar "absolutamente" concluído até o final do ano e que, por conseguinte, o contrato de gestão com o grupo islandês Icelandair não vai ser prorrogado. Após a assinatura de um acordo neste sentido no passado mês de Agosto, a companhia tinha começado a operar com dois aviões da Icelandair em Novembro. Mas em virtude deste novo figurino, o governante referiu que daqui por diante, a totalidade da tripulação dos aviões alugados à Icelandair passa a ser cabo-verdiana.

De recordar que a companhia de bandeira cabo-verdiana tem conhecido dificuldades há largos anos, tendo acumulado prejuízos de mais de 100 milhões de Euros. A companhia que agora apenas efectua ligações internacionais, depois de ter sido cedido no ano passado o mercado interno ao operador privado Binter Cabo Verde, tem estado a negociar as modalidades de rescisão dos contratos de parte dos seus funcionários. Mais pormenores com Odair Santos.

Odair Santos, correspondente da RFI em Cabo Verde 04/07/2018 ouvir