rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

Publicado a • Modificado a

Polícia Nacional de Cabo Verde em greve por três dias

media
Memorial em honra de Amílcar Cabral DR

A greve de três dias da Polícia cabo-verdiana, iniciada esta Quarta-feira, ocorre - segundo o Sindicato Nacional da Polícia - porque o Governo não cumpriu o memorando de entendimento assinado em Março passado, quando o Ministério da Administração Interna se comprometeu em atender às reivindicações dos polícias.


Em declarações à imprensa, o presidente do SINAPOL, José Barbosa, disse que o sindicato fez de tudo para evitar a greve, mas sem sucesso.

Apesar da requisição civil decretada pelo Governo, o presidente do SINAPOL, afirmou nas primeiras horas da greve que a adesão era de 99 por cento.

Por outro lado, o director Nacional da Polícia, Emanuel Moreno, garantiu, esta tarde, que todas as unidades da polícia cabo-verdiana estão a funcionar normalmente.

Os polícias reivindicam a actualização salarial dos agentes da Polícia Nacional, a redução da carga horária, e a introdução de um regulamento de trabalho e pagamento de subsídio de condição policial à guarda fiscal, com efeitos retroactivos. E ainda, o pagamento de 25% sobre o vencimento, como subsídio de condução, ao pessoal da PN que exerce, cumulativamente, as funções de condutores.

Algumas das exigências que surpreendem, o ministro da Administração Interna, Paulo Rocha, "quando em Março nós acordamos criar uma plataforma de discussão e de análise das questões candentes da polícia, de forma a sua resolução gradual".

Oiça aqui a crónica de Odair Santos, correspondente da RFI em Cabo Verde

 

Odair Santos, correspondente da RFI em Cabo Verde 27/12/2017 ouvir