rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

Unicef África Lusófona Angola Seca Fome Morte Alterações Climáticas União Africana

Publicado a • Modificado a

Angola sem resposta para a fome

media
Seca no sul de Angola provoca primeira criança morta em Kuando Kunbango REUTERS

Em Angola de acordo com as organizações não-governamentais três crianças morrem por dia devido à fome que atinge o centro e sul do país. O programa do governo de ajuda às vítimas não tem sido, até ao momento, capaz de dar uma resposta eficaz.


Em Angola a seca extrema que atinge o centro e o sul do país continua a fazer vítimas mortais. De acordo com as organizações não-governamentais, todos os dias três crianças morrem à fome.

A UNICEF alertou para o facto de 500 mil crianças estarem afectadas pela seca e mais de 200 mil abandonaram a escola devido à fome e à falta de água.

Nas províncias do Cunene, Huíla, Cuando Cubango, Benguela, Kwanza Sul e Namibe a fome afecta dois milhões de pessoas que precisam de ajuda de emergência.

As autoridades locais solicitaram mais apoio do governo, porém o programa de apoio às famílias mais pobres tem capacidade de resposta para apenas um milhão de afectados.

Correspondência de Avelino Miguel 12/08/2019 ouvir

A comissária para a Economia Rural e Agricultura da União Africana, Josefa Sacko, mostrou-se preocupada com as vítimas da seca e afirmou estra disponível para identificar, com o governo, programas para mitigar os efeitos das alterações climáticas.

Os efeitos das alterações climáticas vão estar em debate até quarta-feira no Fórum das Organizações da Sociedade Civil da Comunidade de Desenvolvimento Económicos do Estados da África Austral.