rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

32ª Cimeira da União Africana União Africana Cabo Verde Mercado único de transportes aéreos

Publicado a • Modificado a

Cabo Verde defende mais sensibilidade para insulares

media
Ulisses Correia e Silva, primeiro-ministro de Cabo Verde PATRICIA DE MELO MOREIRA / AFP

Ulisses Correia e Silva, alerta para a necessidade de uma União Africana mais sensível às questões da insularidade. O primeiro-ministro de Cabo Verde, participa na 32ª Cimeira de Chefes de Estado e de Governo da União Africana, que decorre em Addis Abeba, Etiópia.


Em declarações à RFI, Ulisses Correia e Silva defendeu a necessidade de “fazer valer, cada vez mais, as especificidades dos países insulares”, no que às vulnerabilidades diz respeito como “as alterações climáticas, choques externos e o facto de serem um país de pequena dimensão”. O líder do Governo cabo-verdiano avançou ainda que iria insistir nesta cimeira no mercado único aéreo em África, porque “Cabo Verde tem particular interesse [no mercado único aéreo em África] como, o facto, de as conectividades serem essenciais para qualquer processo de desenvolvimento”, concluiu.

Arrancou hoje a 32ª Cimeira de Chefes de Estados e de Governo da União Africana. Esta manhã, o chefe de estado egípcio Abdel Fattah al Sissi recebeu do ruandês Paul Kagame a presidência rotativa da organização pan-africana.

O dia começou com uma reunião à porta fechada entre os chefes de Estado e de Governo, com a questão da zona de comércio livre no continente africano em cima da mesa.

A integrar os trabalhos deste domingo foi o Fundo da Paz da União Africana. Criado no final do ano passado, este fundo deverá atingir os 400 milhões de dólares até 2020. E o que estaria a dividir os Chefes de Estados e de Governo da União Africana seriam as modalidades de financiamento do fundo.

A participar na cimeira encontra-se igualmente Filipe Nyusi, Presidente de Moçambique, Jorge Bom Jesus, primeiro-ministro de São Tomé e Príncipe, Manuel Augusto, Ministro das relações Exteriores de Angola e João Butiam Có, ministro dos Negócios Estrangeiros da Guiné-Bissau.