rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

Francofonia Arménia União Africana Organização Internacional da Francofonia OIF Ruanda

Publicado a • Modificado a

Louise Mushikiwabo, a nova secretária-geral da OIF

media
Louise Mushikiwabo é a nova secretária-geral da OIF LUDOVIC MARIN / AFP

Louise Mushikiwabo foi esta sexta-feira nomeada secretária-geral da Organização Internacional da Francofonia. A ministra dos Negócios Estrangeiros do Ruanda foi nomeada por consenso em Erevan, Arménia.


A eleição de Louise Mushikiwabo à frente da Francofonia é o culminar de um longo caminho trilhado pela diplomacia ruandesa, que procura aumentar sua influência em África e no mundo.

A eleição da ministra dos Negócios Estrangeiros de 57 anos é, igualmente, uma vitória pessoal do chefe de Estado ruandês, Paul Kagame, que impôs a sua escolha a pares africanos e ao presidente francês Emmanuel Macron.

Vim ruandesa e africana para Erevan, parto daqui francófona” foi a primeira reacção de Louise Mushikiwabo. A nova secretária-geral da OIF lembrou que fez “a volta ao mundo em dois meses e meio” para ouvir todos os estados membros e sublinhou que agora vai ajustar a organização ao seu estilo para que a Francofonia passe a ter mais peso a nível mundial.

Vou apenas adaptá-la [Organização Internacional da Francofonia] ligeiramente ao meu estilo com o vosso apoio. Desde o anúncio da minha candidatura pareceu-me importante de ir ao vosso encontro, dos membros da nossa organização. Fiz, como gosto de dizer, a volta ao mundo em dois meses e meio, para acolher as vossas ideias e expectativas. Era um procedimento crucial para mim na construção do nosso projecto comum. Acredito num secretariado-geral ao serviço dos estados-membros”.

Louise Mushikiwabo agradeceu igualmente o apoio da União Africana: “Estou grata pelo apoio unânime da União Africana. Quero, aqui, através do presidente da Comissão da União Africana, meu irmão e amigo, Moussa Faki Mahamat, enviar esta mensagem aos membros da União Africana francófona e não francófona pelo apoio que recebi desde Nouakchott [31ª Cimeira da União Africana em Nouakchott, Mauritânia].
Num contexto de reforma e de grandes mudanças à escala do continente, África tomou uma posição decisiva na sua história: a unidade do continente à volta da minha candidatura é uma honra, mas acima de tudo é a prova de que juntos somos mais fortes”
.

Louise Mushikiwabo 12/10/2018 ouvir

Numa entrevista exclusiva concedida à RFI e à televisão France 24 o chefe de Estado francês, Emmanuel Macron, regozijou-se com a chegada da chefe da diplomacia ruandesa para a liderança da organização, enaltecendo o papel de África na mesma.

"O epicentro da Francofonia actualmente é África.

E, neste contexto, acho que é muito mais uma francofonia de conquista aquela que vimos durante esta cimeira e que havemos de continuar a ver.

Quando se pega num país como o Ruanda que se tinha desviado do francês... voltar, assumir as suas responsabilidades com uma ministra, obviamente francófona, num país onde, diga-se, mais de metade da população fala francês... isso é, obviamente, um projector.

Sobre a nossa língua, os seus valores e o que isso permitirá fazer !"

Emmanuel Macron, presidente francês 12/10/2018 ouvir