rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

Marcha Paz Angola Juventude José Eduardo dos Santos

Publicado a • Modificado a

Jovens homenageiam JES como arquitecto da paz em Angola

media
José Eduardo dos Santos, homenageado em marcha de jovens, a 14 de abril, como "arquitecto da paz" REUTERS/Stephen Eisenhammer

Abril em Angola é considerado como o mês da paz, tendo em conta o 4 de abril, que assinala o fim da guerra civil e o 14 de abril, dia juventude. Assim, jovens angolanos organizaram este sábado uma marcha da paz em Luanda em homenagem ao ex-presidente, José Eduardo dos Santos, tido como o "arquitecto da paz."


Neste dia 14 de abril, dia da juventude, 5 mil jovens 5 mil jovens motoqueiros ou motorizadas participaram numa marcha em Luanda ainda no quadro deste mês dedicado à paz e reconciliação em Angola.

A marcha inscreve-se no dia 4 de abril, dia da paz e reconciliação nacional, referência ao fim da guerra civil entre as forças da UNITA e do MPLA, com a assinatura do memorando de entendimento em Luanda, entre as duas partes.

O memorando de entendimento é um documento que completa o Protocolo de Luzaka, entre a o MPLA e a UNITA, que tinha acabado com a guerra civil.

Assim, desde a assinatura do memorando, 4 de abril, passou a ser feriado em Angola e erigido como dia da paz, que todos os anos é assinalado com várias manifestações, nomedamente, o tradicional desfile de motorizadas.

Os jovens que sairam hoje às ruas de Luanda, quiseram homenagear o ex-presidente angolano, José Eduardo dos Santos, que consideram ser “arquitecto da paz”.

"Hoje em dia podemos andar de Cabinda a Cunene, porque ha paz. Hoje em dia mudámos, o paradigma de Angola e o mundo, a visão de Angola, porque temos paz", declarou  à reportagem da RFI, Mário Domingos Beirão, coordenador da Marcha, e presidente da Associação Jovens Unidos Solidários.

Mário Domingos Beirão coordenador da Marcha de apoio ao ex-presidente JES de Angola 14/04/2018 ouvir

Participaram, igualmente, na marcha da paz, em Luanda, manifestantes anónimos, como estes 2 manifestantes, um deles a dizer quererem homenagear "ao nosso caro presidente, José Eduardo dos Santos", e outro, a afirmar que foi pago "pouco, 6 mil quanzas" para participar no desfile.

2 manifestantes da Marcha da Paz em Angola 14/04/2018 ouvir

Reportagem do nosso correspondente, em Luanda, Daniel Frederico.