rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo
Urgente
TPI recorre da absolvição de Laurent Gbagbo

Angola África África Lusófona Saúde Malária Médicos Medicina

Publicado a • Modificado a

Angola: Malária matou 2100 pessoas

media
Malária continua a matar em Angola. Esta doença é transmitida pelos mosquitos. GETTY/DEA PICTURE LIBRARY

No primeiro trimestre deste ano, registaram-se 700 mil casos e mais de 2 mil mortos devido à malária, primeira causa de mortalidade no país. Os dados são das autoridades sanitárias de Angola que divulgaram um novo relatório sobre a evolução da malária.


Angola registou no primeiro trimestre deste ano mais de 700 mil casos de malária, que resultaram em quase 2100 óbitos, segundo dados das autoridades sanitárias.

De acordo com esses dados, as duas províncias mais afectadas são Luanda e Benguela, que ultrapassam os 90 mil casos e cerca de 300 mortos cada uma.

No entanto, de referir que todas as províncias têm casos de malária e de óbitos. As duas províncias com menos mortos são Cabinda e Namibe, com cinco óbitos registados.

De notar que as crianças são as mais vulneráveis.

A malária, que é a principal causa de morte em território angolano, é também o principal motivo de internamentos hospitalares, bem como de ausência nas escolas e no trabalho.

Como medidas de prevenção contra a doença em todo o país, foram realizadas várias acções, como a distribuição de mosquiteiros, a fumigação aérea e a pulverização intradomiciliar.

A falta de medicamentos e de material básico nos hospitais, bem como os recursos humanos, tornam o sitema de saúde em Angola incapaz de responder às necessidades sanitárias das populações.

O executivo do Presidente João Lourenço prometeu mais investimentos no sector.

Mais pormenores com o nosso correspondente, Avelino Miguel.

Correspondência de Avelino Miguel 06/04/2018 ouvir