rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

Angola Lunda Sul Lunda Norte

Publicado a • Modificado a

Um morto, oito feridos e 101 detidos nas Lundas

media
Região das Lundas a vermelho no mapa de Angola DR

Um morto, 101 detidos e oito feridos é, para já, o balanço provisório do Movimento do Protectorado Lunda-Tchokwe, que convocou uma manifestação para este sábado pela autonomia da região diamantífera.


Centenas de manifestantes saíram esta manhã às ruas na Lunda Norte e Sul para reivindicar pacificamente a autonomia.

Apesar da manifestação ter sido comunicada por carta 40 dias antes da sua realização e desta não ter sido proibida, dezenas de pessoas foram detidas, a maioria continuam presas.

"Conforme estava prevista a realização de manifestações, a manifestação teve lugar em várias localidades. Devo dizer que fomos altamente violentados pela polícia. Tivemos muitas baixas e cerca de 101 pessoas foram presas esta manhã", afirmou José mateus Zecamutchima.

Crianças, mulheres e idosos não foram poupados nas intervenções das forças de segurança angolanas como descreve o presidente do movimento do protectorado Lunda Tchokwé, José mateus Zecamutchima.

"Ontem, sexta-feira, o comandante municipal do Cuango conversou com o nosso secretário e disse que podíamos fazer manifestação desde que não se aproximassem das instalações do governo. Não compreendemos por que é que, vinte e quatro horas depois, (as autoridades) usaram armas e dispararam contra manifestantes para dispersas as pessoas e prender", descreveu o presidente do movimento do protectorado Lunda Tchokwé.

Presidente do movimento do protectorado lunda tchokwé, José mateus Zecamutchima 24/02/2018 ouvir