rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

5ª Cimeira União Africana - União Europeia Angola Portugal Manuel Vicente Justiça

Publicado a • Modificado a

“Manuel Vicente é uma questão judicial”

media
Ministro dos Negócios Estrangeiros de Portugal, Augusto Santos Silva https://pt.wikipedia.org/wiki/Ficheiro:Augusto_Santos_Silva_in_J

O Ministro dos Negócios Estrangeiros de Portugal, Augusto Santos Silva, admite que a questão de Manuel Vicente adquiriu relevância nas relações com Angola, todavia ressalva que para Portugal essa é uma questão judicial. As declarações foram feitas no final de encontro que juntou as duas delegações que marcam presença na 5.ª Cimeira UA/EU, em Abidjan, na Costa do Marfim.


O responsável pela diplomacia portuguesa reconheceu hoje, em Abidjan, que as relações entre Angola e Portugal são ”excelentes” e que as relações económicas “são muito densas”.

Todavia, Augusto Santos Silva admite a existência de um problema que está a afectar as relações bilaterais fazendo referência à questão do ex-vice-presidente de Angola. “Um processo judicial que está em curso em Portugal”, refere.

O ministro ressalva que, do ponto de vista de Portugal, esta é uma questão judicial. “Do nosso ponto de vista, a política não se mete com a justiça, naturalmente, também a justiça não se mete com a política externa”, admite.

Augusto Santos Silva acrescenta ainda que o caso que Angola coloca é um caso que transcende as competências e as responsabilidades do poder político em Portugal”.

O Ministro dos Negócios Estrangeiros de Portugal sublinha que não há nenhuma guerra, nem nenhuma questão política pendente entre Portugal e Angola” e ressalva que a questão que Angola considera ser importante “é uma questão que em Portugal é tratada no foro judicial”.

Ministro dos Negócios Estrangeiros de Portugal, Augusto Santos Silva 29/11/2017 ouvir

O ministro das Relações Exteriores de Angola, Manuel Augusto, referiu-se hoje às relações entre Angola e Portugal como “excelentes”, contudo reconheceu que estão “ensombradas”, numa alusão ao processo da justiça portuguesa que visa o antigo vice-presidente de Angola.

Enquanto o poder judicial português entender que as relações entre Portugal e Angola são menos importantes do que o cumprimento deste processo na direcção que estão a levar, nós aguardaremos. O caso do senhor Manuel Vicente está politizado, porque nem pelo valor material do crime, nem pelas consequências da sua acção justifica todo esse estardalhaço, declarou.

A justiça portuguesa acusa Manuel Vicente de ter presumivelmente corrompido o procurador português Orlando Figueira para que arquivasse dois inquéritos, um deles o caso Portmill, relacionado com a alegada aquisição de um imóvel de luxo no Estoril, em Portugal.

A entrevista foi realizada pela nossa enviada especial a Abidjan, Cristiana Soares.