rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

Lunda Norte ACNUR Campo de Refugiados Refugiados República Democrática do Congo

Publicado a • Modificado a

Lunda Norte: 10% dos cerca de 33 mil refugiados foram reassentados

media
Momento musical no espaço Amigo da Crança da Unicef no Dundo Unicef Angola

 

Entre 8 de Agosto e hoje apenas foram reassentados cerca de 3 mil dos 33 mil refugiados, vindos da RDC, que se encontravam no Dundo, capital da Lunda Norte.


Em Angola cerca de 33 mil pessoas fugindo ao conflito no Kasai na vizinha República Democrática do Congo, refugiaram-se desde Março passado em dois campos improvisados: Cacanda e Mussungue, na cidade do Dundo, capital da Lunda Norte.

Irmã Jamba, Caritas Angola no Dundo 29/08/2017 ouvir

O ACNUR - Alto Comissariado da ONU para os Refugiados começou o seu reassentamento a 8 de Agosto, num campo mais adaptado e com capacidade para acolher 50 mil pessoas, situado em Lóvua a cerca 90 kms de distância e previa então terminar o processo até 31 de Agosto.

Mas tal não será possível, dado que até ao momento apenas foram transferidos os cerca de 3 mil refugiados que se encontravam em Mussungue, não tendo ainda começado o processo de transferência dos cerca de 30 mil de Cacanda.

Apesar de interrompido devido às eleições gerais de 23 de Agosto e a atrasos na logística, o processo vai recomeçar em breve, segundo a irmã Jamba da Caritas Angola, que se encontra no Dundo.

Para a irmã Jamba no campo de Lóvua as condições de acolhimento são melhores "têm mais espaço..mas continuam em tendas, depois vão fazer as casas...a falta de medicamentos continua, mas os Médicos sem Fronteiras têm feito alguma coisa, a UNICEF também está lá...só que é muito distante e estamos a encontrar dificuldades [em termos de] meios de transporte, mas na medida do possível a gente tem estado lá".