rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

Educação Angola Turquia Escola

Publicado a • Modificado a

Luanda fecha colégio turco por questões de soberania

media
Luanda, Angola. 2 de Junho de 2016. Benjamin SHEPPARD / AFP

O ministro angolano do interior Ângelo da Veiga Tavares alegou questões graves de Estado e soberania e não pressões políticas, para justificar o encerramento na semana passada do Colégio Esperança Internacional mais conhecido por Colégio Turco de Luanda, mas pede desculpa pela forma como o colégio foi encerrado.


Entretanto segundo o diário angolano O País, dois professores turcos desta instituiçao estão a ser julgados desde Janeiro em Luanda por alegadas actividades ligadas a branqueamento de capitais e financiamento do terrorismo internacional e associação a movimentos politicos com ligações à tentativa de golpe de Estado na Turquia.

De recordar que um decreto presidencial de 3 de Outubro ordenava o encerramento do Colégio Turco de Luanda e a expulsão de 3 funcionários turcos do mesmo, agora com nova gestão, mas na altura propriedade da organização Hizmet.

Trata-se do clérigo turco exilado nos Estados Unidos Fetullah Gullen, que o presidente Erdogan responsabiliza pelo golpe de Estado militar falhado de 15 de Julho do ano passado.

Em janeiro passado em Maputo o presidente turco pediu ao seu homologo Filipe Nyusi que encerrasse os estabelecimentos da organização de Fetullah Gullen no país e fez o mesmo em relação à Africa do Sul e Tanzânia

Palavras do ministro angolano do interior Ângelo da Veiga Tavares num registo gentilmente cedido pela RNA

 

Ângelo da Veiga Tavares 15/02/2017 ouvir