rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

Angola Fome Chuvas Seca Crise alimentar Alimentação África Lusófona África

Publicado a • Modificado a

Falta de chuva provoca fome em Cunene em Angola

media
Situação das províncias de Cunene e Huíla em Angola onde a falta de chuva provoca fome e mortos DR

Populações da província de Cunene, em Angola, estão de novo a ser vítimas da fome devido à falta de chuva e seca, situação que já provocou 100 mortos, sobretudo crianças, mulheres e velhos, segundo autoridades sanitárias locais.


As autoridades sanitárias na província de Cunene, em Angola, deram conta de 100 mortos devido à fome no sul de Angola, zona onde a seca é recorrente, assim como a morte de crianças, velhos e mulheres.

Há vários anos que ciclicamente províncias do sul e sudoeste de Angola, sofrem com a falta de chuvas e consequentemente a seca e problemas com as colheitas, provocando assim mortes nas populações locais.

Para o Padre Pio Wacussanga, Pároco de Nossa Senhora de Fátima, do Município dos Gambos, na província da Huíla, vizinha do Cunene, o facto é que há fome há vários anos na região e com a falta de chuva, as pessoas já chegam à sua localidade pedindo ajuda alimentar.

"Desde 2012, as pessoas nunca mais conseguiram fazer reservas robustas, para poderem prover em alimentos e então há um grande défice de alimentos".

E esta situação ocorrida na província de Cunene, tem  consequências negativas no município dos Gambos, na província vizinha da Huíla, sublinha o pároco local, Pio Wacussanga.

"Alguns grupos de pessoas não aparecem quando há fartura de cereais; agora já começam a aparecer alguns, como algumas senhoras para gerarem e a vender panelas procurando trabalhos eventuais e à procura de alimentos.

Ouça aqui a entrevista à RFI do padre Pio Wacussanga, Pároco de Nossa Senhora de Fátima, do Município dos Gambos, na província da Huíla, em Angola.

Pio Wacussanga, Pároco no Município dos Gambos,Huíla, em Angola. 07/02/2017 ouvir