rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

Angola Presidente José Eduardo dos Santos Discurso Economia Eleições Crise

Publicado a • Modificado a

José Eduardo dos Santos admite que "2016 é um ano difícil"

media
José Eduardo dos Santos admite que "2016 é um ano difícil" REUTERS/Siphiwe Sibeko

O presidente angolano endereçou na noite passada os cumprimentos de boas festas à nação. José Eduardo dos Santos admitiu que 2016 foi um ano de dificuldades para a população e apelou à serenidade para as eleições gerais agendadas para 2017.


No discurso de cumprimentos à nação Presidente angolano admitiu que 2016 foi “um ano difícil no domínio económico e financeiro”.

O chefe de Estado salientou que a crise económica despertou nos angolanos a “consciência para o controlo racional dos gastos”.

Apesar das turbulências económicas, José Eduardo dos Santos reconheceu que “desde 2002 que Angola é um país estável e pacífico”.

O Presidente angolano não esqueceu que em 2017 o país vai a votos e quis deixar grantias de que " todos os passos necessários estão a ser dados para a realização das eleições (...) e para que os cidadãos possam exercer o seu direito de voto e escolher o seu Presidente da República e os deputados que vão dirigir o país no próximo mandato".

O chefe de Estado lançou ainda um apelo à população para que o escrutínio marcado para 2017 “decorra num espírito de tolerância política e no respeito das convicções de cada um”. José Eduardo dos Santos pediu aos políticos que definam os projectos para a nação e que “façam prova de maturidade e responsabilidade” ao abordarem os assuntos de interesse nacional".

O presidente angolano endereçou na noite passada os cumprimentos de boas festas à nação. Num ano marcado pela quebra do crescimento económico associado à descida do preço do petróleo.