rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

Bolívia Cocaína Convenção Evo Morales Nações Unidas ONU

Publicado a • Modificado a

ONU descriminaliza folha de coca e Bolívia reintegra Convenção de Viena

media
Mulher vendendo folhas de coca em um mercado em La Paz, nesta segunda-feira. REUTERS/Gaston Brito

Milhares de bolivianos saudaram nesta segunda-feira a reintegração de seu país na Convenção de Viena, principal tratado estabelecido pela ONU para combater o uso de entorpecente. As Nações Unidas descriminalizaram o ato de mascar folhas de coca, incluindo no texto do documento uma cláusula especial, que autoriza a prática milenar na região dos Andes.


O presidente da Bolívia, Evo Morales, esteve a frente das manifestações em todas as regiões do país para celebrar a decisão. Na capital La Paz, cerca de 5 mil produtores se reuniram nas ruas do centro e distribuíram pequenos sacos com a planta para a população. “A folha de coca não é mais considerada como cocaína, é um triunfo de nossa identidade”, afirmou em um comício o presidente, ex-agricultor, que conseguiu legalizar o cultivo e o consumo de folha de coca

A Bolívia abandonou a convenção em 2011, em protesto contra a inscrição da folha na lista de produtos entorpecentes. As folhas da Erythroxylum coca, planta nativa do país são utilizadas para chás ou são mastigadas para fins terapêuticos, como evitar a fome, o cansaço, lutar contra os efeitos da altitude e utilizações rituais. Elas também são usadas para a produção de cocaína.

A reintegração efetivada na sexta-feira a Convenção de 1961 foi possível sem a oposição de um terço dos 183 Estados membros da ONU. Apenas 15 países foram contra a decisão, entre eles França, Estados Unidos, Reino Unido, Itália, Canadá, Alemanha e Rússia.