rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

Ecologia Estados Unidos Petróleo

Publicado a • Modificado a

Nova operação tenta conter vazamento de petróleo nos EUA

media
A BP está disponibilizando na internet imagens ao vivo da operação no fundo do mar. Reuters/BP/Handout

A petroleira britânica British Petroleum iniciou nessa quarta-feira uma nova tentativa para controlar o vazamento no poço de petróleo, que há cinco semanas tem causado um verdadeiro desastre ecológico no Golfo do México, nos Estados Unidos. A operação, chamada "top kill", visa injetar cimento para tentar fechar as falhas na estrutura sub marina.  


Cleide Clock , correspondente da RFI em Nova York

 

A operação começou no início da tarde de quarta-feira, logo após a Guarda Costeira ter consultado cientistas do governo, que deram o sinal verde para os trabalhos de selamento. Os engenheiros da British Petroleum (BP) estão usando robôs submarinos para injetar um fluido no local onde está saindo o óleo para, em seguida, cobrir o poço com concreto. Esse procedimento já foi feito no passado em um vazamento no Kuwait, mas nunca foi realizado em águas tão profundas. A falha do Golfo do México se situa a 1600 metros de profundidade.

Por essa razão, as autoridades envolvidas não garantem que a tentativa terá sucesso. Segundo os técnicos, há 60% de chances que a operação dê certo, mas os resultados só poderão ser avaliados em dois dias.

O procedimento, chamado em inglês de Top Kill (Matar por cima – em tradução literal), pretende vedar o poço, para tentar conter o vazamento que derrama no mar, segundo a empresa britanica BP, cerca de 800 mil litros de petróleo por dia. Cientistas estimam que o volume pode ser até 20 vezes superior.

A BP está disponibilizando na internet imagens ao vivo da operação no fundo do mar. Caso essa nova tentativa fracasse, no final do mês a empresa britânica vai colocar uma rede de tubos para tentar capturar e recuperar o petróleo e o gás que saem do poço.

Sob pressão popular, o governo norte-americano está impaciente à espera de resultados imediatos. A Casa Branca já ameaçou afastar a BP da operação, caso o problema não seja resolvido rapidamente, mas ainda depende da empresa, que detém a tecnologia de operações em águas profundas. A empresa já gastou cerca de 760 milhões de dólares na luta contra o vazamento e as causas do incidente ainda não foram descobertas.

Medidas futuras

O governo norte-americano deve anunciar nessa quinta-feira a suspensão, até 2011, da exploração de petróleo no fundo do oceano Ártico, segundo anunciou, nesta quarta-feira, o senador do estado do Alaska, Mark Begich. A decisão faz parte de uma série de medidas adotadas pelo presidente Barack Obama, após a explosão da plataforma do Golfo do México.

Na sexta-feira o presidente norte-americano fará a segunda visita à região.