rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

Madagáscar África Eleições Presidenciais Henry Rajaonarimampianina Andry Rajoelina

Publicado a • Modificado a

Madagáscar: Ex-Presidente denuncia irregulariades

media
Mesa de voto em Antananarivo, em Madagáscar, durante a primeira volta das presidenciais, 7 Novembro de 2018. RIJASOLO / AFP

Em Madagáscar, o antigo presidente, Hery Rajaonarimampianina, e candidato às presidenciais, denunciou esta quinta-feira "várias irregularidades" na eleição de ontem e garantiu que não vai permitir que "o voto seja roubado à população".


“Foram detectadas várias irregularidades no voto e anomalias técnicas”, declarou Hery Rajaonarimampianina num comunicado, citando nomeadamente um “ficheiros eleitoral inválido”, “boletins de votos que já estavam assinados”, “atrasos na colocação dos equipamentos e das instalações de voto” e ainda “intimidações”.

“Tudo leva a crer que o voto da população malgaxe foi vítima destes atropelos” acrescentou o candidato, um dia depois do escrutínio que decorrer sem problemas.

Rajaonarimampianina diz contar com as instituições competentes para não deixar passar nenhuma tentativa de manipulação.

De acordo com os resultados provisórios oficiais parciais da eleição, ou seja, em 291 das 24 mil 852 mesas de voto, Hery Rajaonarimampianina obteve 3,92% dos votos. Ele chega em terceiro lugar, muito longe dos outros dois chefes de Estados Andry Rajoelina com 45,07 % e Marc Ravolomanan com 40,30% dos votos.

Os três homens eram dados como favoritos numa eleição que tem como objectivo consolidar a democracia num país acostumados às crises políticas e pós-eleitorais.

Durante a campanha, Hery Rajaonarimampianina insistiu no facto de ele ter respeitado a Constituição ao apresentar, em Setembro, a demissão para se apresentar ao posto de chefe de Estado.  

Rajaonarimampianina chega ao poder em 2014, depois de ter ganho a eleição presidencial, na qual foram excluídos, sob pressão da comunidade internacional, Andry Rajoelina (2009-2014) e Marc Ravalomanana (2002-2009) para evitar qualquer derrapagem após a crise de 2009. Em 2009 Marc Ravalomana apresentou a demissão depois de ter sido abandonado pelos militares que deram o poder a Andry Rajoelina.

Madagáscar, ilha situada no oceano Indico, tem vivido várias crises políticas desde a independência em 1960.