rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

África do Sul Crise política ANC Jacob Zuma Cyril Ramaphosa África Lusófona

Publicado a • Modificado a

Braço de ferro entre Zuma e Ramaphosa na África do sul

media
Braço de ferro entre Presidente sul-africano, Zuma e o líder do ANC, Cyril Ramaphosa REUTERS/Siphiwe Sibeko/File Photo

Continua o braço de ferro entre o presidente sul-africano, Jacob Zuma e o líder do ANC, Cyril Ramaphosa, na África do sul. Ramaphosa, igualmente vice-presidente, avistou-se ontem à noite com Zuma, para falarem sobre as modalidades de saída do poder do presidente sul-africano, disse que a questão será resolvida nos próximos dias. Mas, hoje, Zuma, ameaçou demiti-lo das funções de vice-presidente.


O presidente do ANC, partido no poder, Cyril Ramaphosa, igualmente, vice-presidente sul-africano, foi recebido, ontem à noite, pelo chefe de Estado, Jacob Zuma, para analisarem as modalidades de abandono do poder do ainda presidente da África do sul.

Ramaphosa, provável próximo chefe de Estado, saiu do encontro com Jacob Zuma e declarou que o futuro do presidente sul-africano, será decidido nos "próximos dias".

O presidente Jacob Zuma, reagiu, imediatamente, ameaçando demitir Ramaphosa de vice-presidente da África do sul e nomear para o cargo, a sua ex-esposa, Nkosazana Dlamini-Zuma, que disputou a liderança do ANC, com Ramaphosa, no último congresso.

Continua assim, o braço de ferro entre o presidente e o antigo sindicalista, Ramaphosa, hoje milionário e acusado por Zuma de ser "agente do imperialismo capitalista".

Zuma tem o apoio dos chefes tradicionais e dos generais e do exército, enquanto Ramaphosa, dispõe do apoio do ANC, que não é absoluto.

Uma luta exacerbada nos últimos dias, com um comité do ANC a convocar uma reunião no início da semana para demitir o presidente sul-africano, Zuma, envolvido numa série de escândalos de corrupção. 

Mas o Presidente Zuma conseguiu travar as intenções do grupo, uma ala do líder do ANC, Ramaphosa, que não assistiu a esse encontro.

O presidente sul-africano, que devia fazer o seu discurso à nação, amanhã, teve de fazer concessões, adiando "sine die" a sua alocução, perante o Parlamento.

A análise desta crise política sul-africana, com o Professor universitário, André Thomashausen, analista político. 

Professor André Thomashausen, analista político sobre braço de ferro Zuma/Ramaphosa 13/02/2018 ouvir